JANEIRO ROXO /

Segunda-feira, 20 de Janeiro de 2020, 07h:00

A | A | A

Mês chama atenção à conscientização da hanseníase; secretaria municipal de saúde registrou 25 casos em 2019


Imagem de Capa
Pérsio Souza

Silenciosa, transmissível e está entre uma das doenças mais antigas da humanidade. A Hanseníase, antigamente conhecida como Lepra, pode causar deformidades e incapacidades físicas quando o paciente fica exposto muito tempo à bactéria causadora da doença, no entanto, há cura e quanto mais rápido o diagnóstico, menor o tempo de tratamento. Por representar um problema de saúde pública, este mês é dedicado à conscientização da causa através da campanha Janeiro Roxo.

Manchas avermelhadas ou esbranquiçadas, ausência de sensibilidade no local, formigamento nos braços e pernas, ulceras e febres são alguns sintomas da doença transmitida pela bactéria Micobacterium leprae. Os primeiros sinais da enfermidade podem aparecer de dois a sete anos depois.

Em Primavera do Leste, conforme a Secretaria Municipal de Saúde, em 2019, foi confirmado 25 novos casos de hanseníase no município. Apesar de parecer um número baixo em comparação com uma população de pouco mais de 61 mil habitantes (IBGE), estima-se que deve ser 1 caso para cada 10 mil habitantes.

O enfermeiro Lourenço Ribeiro Cruz, responsável pelo departamento que atende pacientes com hanseníese no município, explica que o número de pessoas infectadas está ligado à migração em Mato Grosso. “Não só em Primavera do Leste, mas há famílias de todos os lugares que buscam condições melhores no Estado e quando são diagnosticadas, na maior parte das vezes, adquiriram do local que vieram”, diz.

Lourenço explica que qualquer pessoa pode ser vítima da doença, independente de sexo ou idade, porém, dos casos registrados em Primavera do Leste, a maior parte são homens e geralmente com quadros mais avançados.

Em 2017 foram registrados 19 casos novos de hanseníase no município. Em 2018, até o mês de agosto, foram registrados 27 casos. Mato Grosso é um dos estados que mais apresentam casos de hanseníase e a região sul, onde está localizada Primavera do Leste, é considerada hiperendêmica.

O Brasil ocupa a 2ª posição do mundo, entre os países que registram casos novos. Em razão da elevada carga, a doença permanece como um importante problema de saúde pública no País. Os casos geralmente estão ligados às condições insalubres que as famílias vivem.

HANSENÍASE TEM CURA!  TRATAMENTO PODE TER DURAÇÃO DE SEIS MESES A DOIS ANOS

Devido ao acesso maior à informação com o advento da internet e campanhas realizadas, quando os pacientes procuram as unidades de saúde, em Primavera do Leste, eles já possuem conhecimento sobre a doença e buscam pelo diagnóstico.

O diagnóstico de caso de hanseníase é essencialmente clínico e epidemiológico, realizado por meio do exame geral e dermatoneurólogico para identificar lesões ou áreas de pele com alteração de sensibilidade e/ou comprometimento de nervos periféricos, com alterações sensitivas e/ou motoras e/ou autonômicas.

Conforme o enfermeiro Lourenço Cruz, todas as unidades de saúde do município possuem profissional treinado para fazer o diagnóstico e além disso, há um dermatologista referência. “Primavera é privilegiada pela qualidade de atendimento que é oferecida através do Sistema Único de Saúde (SUS)”, defende.

O tratamento da doença é iniciado logo após o diagnóstico. É válido ressaltar novamente que há cura, mas é necessário estar atento para não trazer complicações no futuro, por isso o diagnóstico precoce é importante. O período de cura pode demorar de seis meses a dois anos, isso dependerá de cada caso analisado. 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o tratamento com Poliquimioterapia. O medicamento é considerado pelo Ministério da Saúde como seguro e eficaz. A primeira dose mensal é supervisionada pelo profissional da saúde e as demais são auto-administradas.

Ao iniciar o tratamento, a doença deixa de ser transmissível e nesta etapa, é importante o apoio de amigos e família, porém, estes que possuem contato direto com o paciente também devem ser examinados.

ATENDIMENTO ESPECIALIZADO

Em 2018, a Prefeitura de Primavera do Leste inaugurou o Departamento de Adaptação de Calçados e Palmilhas. O setor atende pacientes que ficaram com deformidades nos pés, após contrair a hanseníase.

O dia 29 de janeiro é lembrado como o Dia Internacional do Hanseniano. Durante esta semana, os profissionais da Secretaria Municipal de Saúde irão passar por capacitação sobre dados e informações sobre a doença para que sempre estejam atualizados. Enfermeiros, fisioterapeutas, médicos, Agente Comunitário de Saúde (ACS) e técnicos de enfermagem receberão o treinamento.

 

 

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz