propaganda

EDUCAÇÃO /

Segunda-feira, 20 de Janeiro de 2020, 15h:17

A | A | A

Matrícula da rede municipal de ensino começam hoje (20)

A exemplo do ano passado, as inscrições para novos alunos devem ser feitas online até o dia 24 deste mês


Imagem de Capa
Jaqueline Hatamoto

9.300 alunos são esperados pela rede municipal de ensino este ano. Ao todo são aproximadamente mais de 1.000 novas vagas nas unidades de ensino infantil (6 meses a 5 anos) e ensino fundamental (1º ao 9º ano). As matrículas para novos alunos começam dia 20 de janeiro e seguem até o dia 24. As inscrições devem ser feitas online.

A secretária de Educação, Adriana Tomasoni, explica que tendo em vista os problemas ocorridos no período de matrícula do ano passado, uma nova empresa foi contratada e um novo sistema foi implantado. Além disso outras medidas foram tomadas para que ninguém tenha problema ao realizar a matrícula. “O ano passado tivemos problemas, esses problemas identificamos que veio do próprio sistema, levamos quase até junho de 2019 para desabilitar a empresa vencedora, porque precisamos comprovar a ineficiência do sistema.  O contrato foi rescindido e em julho começamos com outro sistema. Fizemos toda uma programação até aqui. Essa empresa já tem experiência com outras redes e funciona. Foram feitos testes, acompanhamos outras cidades que usam o mesmo sistema e não apresentou problemas. Também haverá representantes da empresa nestes dias de matrículas na cidade, pois foi uma exigência feita. Esperamos que não tenha problema neste período de matriculas online”, frisou.

Para realizar a inscrição o pai ou responsável pelo aluno precisará ter em mãos o próprio CPF e RG, além do CPF do estudante e um número de celular que receba SMS para confirmação durante o cadastro. No dia 20 de janeiro, a partir das 7h, o responsável deve acessar o link: https://pdl.mt.mn.omegaeducacional.com/ ouu se preferir pode entrar no site da prefeitura de Primavera do Leste, e ir até aba acesso rápido e realizar a inscrição.

Caso a criança a ser inscrita não possua o número de CPF, o responsável pode requerer imediatamente na agência dos Correios ou procurar um ponto de apoio para efetivar a inscrição do aluno. “Se a criança não tiver CPF, o pai deve se dirigir a um ponto de apoio, não precisa se desesperar, no Correio faz na hora, mas em todo caso senão houver tempo, faz essa parte e providencia o CPF para a segunda fase”, explicou a secretária.

Os pontos de apoio são:  EMEF Mauro Weis – Castelândia; Escola 13 de Maio – JD. Riva; Escola Nossa Senhora Aparecida – Tuiuiú; EMEI Dione Pavim – Primavera III; e Secretaria Municipal de Educação, localizada na Rua Blumenau, 414, Piso 2, Centro. Esses locais também devem sem procurados por pessoas que encontrarem dificuldade em acessar o sistema ou não tenham acesso à internet. “Lembrando que só devem procurar os pontos de apoio, quem não tiver ninguém que consiga ajudar. Vale destacar que o sistema segue uma ordem”, frisou. Os locais de apoio irão funcionar das 07h às 13.

 Uma outra observação importante é quanto ao número de telefone cadastrado pelos responsáveis, esse deve estar apto a receber SMS, já que as matriculas são confirmadas por esse sistema. Caso no período seja necessário mudar o número de contato, o responsável deve procurar a Secretaria de Educação. “Pedimos muita atenção na hora de cadastrar o celular, vemos caso em que a pessoa cadastra um número que não é seu, é do vizinho, as vezes de outra pessoa.  Depois do envio do SMS, o prazo para fazer a matricula é de 5 dias. Senão aparecer na escola, vai perder a vaga. Outra observação é: não mudar o número, se mudar, procure a secretaria para alterar o cadastro, pois essa inscrição vale para o ano todo. Senão conseguiu vaga no início pode conseguir depois e é pelo telefone que fazemos o contato”, ressaltou Tomasoni.

 

AMPLIAÇÃO NO NÚMERO DE VAGAS FOI POSSÍVEL GRAÇAS À REORGANIZAÇÃO

No ano de 2019, a rede pública municipal de ensino atendeu 8.400 alunos, agora em 2020 serão 9.300 alunos. De acordo com a secretária de educação, Adriana Tomasoni, a ampliação de vagas foi possível graças a uma reorganização da rede, levando em consideração a demanda por bairro, linhas de transporte escolar, entre outros fatores. Essa reorganização é feita por uma comissão composta por representantes do município, estado, sindicatos ligados a educação e Câmara.

“Buscamos atender a regra principal, que é o aluno estudar no bairro em que mora. Então fazemos um alinhamento para tentar cumprir essa regra. Reorganizamos os bairros e as linhas que vem do campo para a cidade, o aluno por linha e setor, e algumas organizações para tornar possível a ampliação deste número. Foram abertas algumas novas salas, que ainda eram possíveis abrir”, explicou Tomasoni.

A expectativa é que mais vagas sejam abertas no decorrer do ano, com a construção de novas unidades escolares. “Temos até o meio do ano a possibilidade de entrega da unidade escolar do Guterres com Tuiuiú, ampliando para mais 300 vagas. Temos uma previsão de construção de uma nova unidade no Buritis IV, e do Luciana que estamos esperando o FNDE liberar o reinicio da obra. Independente disso, estamos nos reorganizando a um ponto que seja possível a ampliação de vagas pelo menos em período parcial para poder atender as pessoas que tem necessidade”, expôs a secretária.

 

PERÍODO INTEGRAL

Muitos moradores têm utilizado as redes sociais para debater o fim do ensino integral na rede municipal de ensino. Em relação ao assunto, Adriana explicou os alunos que já se encontram matriculados no sistema integral devem continuar e que em alguns casos foi preciso fazer a alteração para poder atender mais alunos. A secretária ressalta ainda que a prefeitura já trabalha para reverter a situação.

“Será mantido o período integral para que já tem. Em algumas situações foi alterado o início do período integral. Justamente pela demanda, mas estamos procurando reverter isso com a construção de novas unidades. Assim que conseguirmos reverter isso a gente volta. Até lá, temos uma demanda que precisa atender o máximo de crianças possíveis. Então se conseguirmos atender meio período já ajuda.  Às vezes, eu sei que a pessoas querem, mas temos que pensar em toda a população. Não podemos pensar em só alguma situação. Mas estamos trabalhando para reverter esse quadro.  Não cortamos o período integral, mas tem bairros que a demanda é muito grande e temos que auxiliar as famílias pelo menos meio período”, frisou.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz