SAÚDE /

Quarta-feira, 15 de Julho de 2020, 07h:00

A | A | A

Dificuldade em adquirir insumos e encontrar profissionais atrasa liberação de leitos de UTI – Covid-19 em Primavera

Para esta semana está prevista a liberação de quatro dos 10 leitos que serão disponibilizados


Imagem de Capa
Jaqueline Hatamoto

O desabastecimento nacional causado pela falta de insumos no mercado para a produção de sedativos, bem como a falta de mão de obra, foram apontados como causa para a não liberação dos 10 leitos de UTI – COVID-19 que seriam inaugurados na sexta-feira 10, no hospital São Lucas, em Primavera do Leste. O atraso na entrega de outros itens também contribuiu para a demora. Porém, a previsão para esta semana é que 4 dos 10 leitos sejam disponibilizados.

 

 “A montagem estrutural está pronta, o que precisa é rede de gases, que atrasou pela dificuldade logísticas. Estamos com dificuldade para comprar insumos, não se acha sedativo, aqui a prefeitura vai fazer o empréstimo para a Intesicare. A parte de profissionais tem alguns que acabaram se contaminando, mas com o que tem, acredito que poderemos liberar de 2 a 4 leitos nos próximos dias”, afirmou o prefeito de Primavera do Leste Leonardo Bortolin.

A falta de sedativos e demais insumos, assim como mão de obra capacitada é a principal causa de atrasos na liberação de leitos de UTI não só no estado de Mato Grosso, mas em todo o Brasil. “Estamos com dificuldades em comprar os restantes dos equipamentos, medicamentos, material e insumos, tudo. Pois não é só colocar um ventilador, uma cama e um monitor aqui dentro, até por que isso a gente já tem. Nós precisamos de uma equipe formada, treinar essa equipe, também há dificuldade em contratar pessoal, são mais de 1000 itens que precisamos e não encontra”, frisou Adriana Welter, enfermeira e coordenadora de assistência da Intensicare, que ainda ressaltou que há mais de 100 pessoas envolvidas no processo de compra dos itens necessários. Vale destacar que a compra de sedativos e de outros medicamentos utilizados em pacientes que precisam de intubação nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) é de responsabilidade dos hospitais, ou das empresas que administram os leitos.

A cada 10 vagas de UTI são necessárias pelo menos 60 pessoas, entre enfermeiros e médicos. E para atrair o número de profissionais necessários a Intesicare diz que não tem medido esforços. “O setor de recursos humanos já aplicou várias estratégias para encontrar pessoas para trabalhar, estamos há dias envolvidos nesta abertura, é como matar um leão por dia ou mais”, ressaltou Welter.

Com mais de 500 leitos espalhados por diversos locais do Brasil, a enfermeira e coordenadora de assistência da Intensicare, elogiou os esforços da equipe de saúde de Primavera do Leste. “Muitas ações foram tomadas e Primavera do Leste está de parabéns. Não é fácil conseguir insumos é difícil, pessoal é difícil e não é brincadeira tocar tudo isso e garantir a saúde da população”, frisou Adriana Welter, que também garantiu que até o final desta semana parte dos leitos serão liberados.

 

PRIMAVERA DO LESTE PASSARÁ A TER 13 LEITOS DE UTI - COVID-19

A instalação dos 10 leitos de UTI’s em Primavera do Leste, trata-se de uma parceria entre governo do estado, governo federal e as prefeituras de Poxoréu, Paranatinga e Santo Antônio do Leste. O município de Primavera disponibilizou sete respiradores, já os demais municípios disponibilizaram um cada, formando assim os 10 leitos completos. Quando estiver em pleno funcionamento os leitos serão disponibilizados a pacientes desta microrregião. “Vamos atender a microrregião, Paratinga, Poxoréu e Santo Antônio. A princípio não é para esses leitos entrarem para regulação de pacientes de outras cidades”, afirmou o prefeito.

“Os equipamentos pesados, estão todos aqui, e nossa ideia é que no decorrer da semana, conforme os leitos forem ficando prontos e houver insumos para esse funcionamento, vamos liberar aos poucos, até que todos sejam liberados. Primavera vai ser um dos únicos municípios que vai conseguir montar e fazer a gestão de todos os leitos previstos”, frisou Léo.

 

DARIA PARA TER SE PREPARADO ANTES?

Muito se tem comentado que os municípios esperaram tempo demais para iniciar as montagens dos leitos de UTI, porém, o prefeito Leonardo Bortolin, garante que apenas há aproximadamente 20 dias é que os governos estadual e federal abriram a possibilidade de habilitação de leitos em municípios e que Primavera do Leste foi uma das primeiras cidades a assinar a parceria. “Somente há 20 dias atrás o governo federal (Brasília) o governo do estado (Mato Grosso), abriram a possibilidade de habilitação de novos leitos. Imediatamente juntamos mais três municípios e levamos protocolos de intenção até o governador e o secretário de saúde. A partir daí foi autorizado, porém, eles disseram que iriam custear, porém, disseram que não tinham equipamentos, por isso procuramos a Intensicare que já gerencia outros leitos em nossa cidade para dar mais agilidade”, frisou Bortolin.

 

A UPA VAI FICAR SEM LEITOS?

Com a destinação de sete respiradores para a montagem dos leitos de UTI no hospital São Lucas, como ficará os pacientes que buscarem atendimento na Unidade de Pronto Atendimento do município e precisar de um leito semi-intensivo? Segundo o prefeito Primavera do Leste possui equipamentos suficientes para atender a demanda e ainda emprestar para hospitais particulares e municípios vizinhos, e que na UPA ainda há cinco respiradores disponíveis. “Hoje a prefeitura de Primavera tem uma condição estrutural de urgência e emergência excelente, tanto que neste momento conseguimos emprestar respiradores para os dois hospitais particulares da cidade, temos um respirador emprestados para Campo Verde, temos ainda sete respiradores aqui (São Lucas) e cinco na UPA. Então a UPA não ficará desamparada, lá ainda vai ter 11 leitos semi-intensivos. Nem todos com respirador, mas teremos cinco leitos com respirador e mais dois respiradores portáteis que ganhamos do governo. Fora os que estão em assistência técnica e em breve vão estar disponíveis também”, explicou o prefeito.

 

AUMENTO DE LEITOS DE ENFERMARIA E DE UTI

Recentemente a Secretaria de Saúde credenciou leitos de enfermaria de dois hospitais particulares para atender pacientes que testaram positivo para Covid-19 e precisam de atendimento médico especializado. A medida segundo o prefeito se fez necessária para suprir a demanda do município. Com o credenciamento destes leitos, mais os leitos criados pelo município, Primavera tem hoje quase 80 leitos de enfermaria disponíveis. O que permite a separação de pacientes de acordo com seu quadro clínico.

“Quando falamos em enfermaria, temos que pensar em vários pacientes. Temos o paciente que apresenta quadro não agravado, e precisam ficar em isolamento, mas não tem onde ficar. Esses são levados para os leitos do Terceiro Milênio. Nesta estrutura, dos 38 leitos montados, só 7 estão ocupados. Na UPA é feito o atendimento de pacientes que apresentam casos mais agravados e havendo necessidade esses pacientes são mandados para os leitos credenciados em hospitais privados. Para esses pacientes temos a disposição 21 leitos, cinco em cada hospital (São dois hospitais credenciados) e 11 na UPA. Além disso ainda temos os leitos de isolamento. Tudo para não faltar atendimento para população”, explicou Léo.

Além dos leitos de enfermaria, quando disponibilizados os leitos de UTI, Primavera do Leste terá 13 leitos de UTI - Covid-19, sendo 10 públicos e três privados, já que no Hospital das Clínicas, mais dois leitos foram credenciados para pacientes Covid.

Até o fechamento desta edição não existia nenhum paciente internado na UPA de Primavera do Leste aguardando por leitos de UTI.

 

MORTES

Até a terça-feira (14), 26 moradores de Primavera do Leste haviam morrido em decorrência da Covid-19. Destes, cinco aguardavam leitos de UTI.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz