EDITORIAL /

Terça-feira, 14 de Fevereiro de 2012, 21h:39

A | A | A

Viva do seu jeito a vida é sua

VAMOS EVOLUINDO EM UMA SOCIEDADE QUE ESTÁ MAIS PREOCUPADA EM VER O CIRCO PEGAR FOGO


Redação: Jaqueline Hatamoto
Hoje ouvi uma música antiga no rádio, a música Comida, foi sucesso nos anos 80 na voz de Paralamas do Sucesso, e também foi regravada por vários cantores como Marisa Monte por exemplo.
E depois o verso ficou martelando , martelando. “Você tem fome de que”? Muita gente pode responder o prato favorito, pensando no alimento do corpo e se esquece do verdadeiro alimento, o da alma. Mais do que alimenta a alma?
Vamos começar pelo princípio que deveria reger a vida de todos nós. O presente de estar presente em nossas próprias  vidas, de ser o senhor das nossas vontades e ações, quem é que nunca abandonou o sonho porque uma pessoa chegou do seu lado e suspirou o famoso “não vai dar certo”, quem é que nunca deixou de comprar uma roupa só porque os padrões estéticos de moda dizem que ela não combina com você.
Mas isso já é quase um hábito entre nós meros mortais, sempre nos deixamos influenciar. A verdade é uma só, ninguém consegue fingir por muito tempo, ou fazer a vontade de outra pessoa por muito tempo.
Devagar vamos evoluindo em uma sociedade que a cada dia por mais preocupada que pareça com os comportamentos alheios estão é mais interessadas em ver o circo pegar fogo, e depois apontar a atitude como certa ou errada. Que atire a primeira pedra quem nunca julgou pela aparência, quem nunca desdenhou algo que na verdade bem lá fundinho estava querendo e muito, mas desistiu só por medo de ser apontado. E aí criamos pessoas frustadas e sem sonhos, e digo sonho, sonho aquele que dá um frio na barriga só de pensar que um dia ele possa se realizar. Seja o sonho de ser astronauta, piloto de avião, ou os mais simples como ser igual aos nossos pais, esses sim depois que crescemos esquecemos, passamos a vida inteira sonhando em ser como eles e depois que chega nossa vez, passamos o resto da vida tentando ser diferente deles. E neste ponto me lembro de um trecho de uma outra música. “Que apesar de termos feito tudo que fizemos, ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais”, apesar de antiga, a música Como Nossos Pais, nos leva refletir o seguinte: Se os nossos avós queriam apenas tranquilidade, nossos pais foram da geração que buscou fazer diferença, e nós queremos mesmo é viver em constante mutação. Tente se lembrar das ideias incríveis que você tinha há pouco tempo e que poderiam mudar o mundo. Lembrou? Elas ficaram lá, no seu passado, ou ainda estão latentes em você e acabam aparecendo, sem querer, na sua postura no dia a dia, nas opções banais, nas posturas na faculdade ou no trabalho, no comentário que faz ao ver um telejornal ou ler uma revista?  Pense bem a resposta além de te ajudar lá na frente pode alimentar sua alma faminta de amor próprio.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz