EDITORIAL /

Domingo, 15 de Janeiro de 2012, 18h:43

A | A | A

Política é arte

E a culpa é de quem? Dos que gostam e também dos que não gostam de política


Redação: Janine de Oliveira
Política. Ta aí um assunto que fascina. Política tem muito haver com pessoas, com comportamento, com personalidade, com a vida. Tão comum ouvir a frase: “Eu detesto política”, ou “política não serve pra nada, se eu quiser algo tenho que trabalhar”. Leigo engano de uma visão embaçada. Política rege a nossa vida, quer ver?
Se você precisa de atendimento médico e remédio e não tem condições de comprar, certamente precisará de um sistema público que funcione. No caso do Brasil o SUS, filho de todos e cuidado por ninguém. Mas isso não é um problema político, isso é politicagem. Torna-se necessário discriminar bem esses dois conceitos.
Política é arte ou ciência da organização, direção e administração de nações ou Estados, já Politicagem é o ato mesquinho de interesses pessoais; atos de politiqueiros. Então posso acreditar que a maioria não gosta é de politicagem. Nada contra partidos, nem contra ideologias. Mas sempre acreditei que política boa é inteira.
A onda de denúncias, hoje expostas em partes, porque nunca saberemos de toda a verdade, sempre existiu, a diferença é que a falcatrua ainda não evoluiu na mesma proporção que a imprensa, que os meios de comunicação. Hoje um celular tem funções de verdadeiro Sherlok, pois com um deles é possível filmar, fotografar e gravar atos politiqueiros com a maior facilidade, esse sentimento do comigo sempre dá certo e a impunidade faz com que homens que deveriam honrar com suas palavras usem o dinheiro que não é deles para o seu favorecimento e dos seus. E a culpa é de quem? Nossa. Sim, nossa. De todos os brasileiros, quer gostem ou não.
Somos corruptos por natureza? Onde puder levar vantagem você se corrompe? Se eu sei que posso ser multada se sair sem os documentos do carro mesmo sabendo que é só uma voltinha e se a polícia me parar em uma blitz certamente serei multada, mas ainda assim saio, dou mil desculpas e ainda tento de alguma maneira não sofrer advertência. Quero ver alguém que pare na blitz mesmo sem ter sido solicitado e diga “Seu guarda, eu estou sem os documentos, pode me multar!”. Duvido!
Para que a política possa ser diferente precisamos mudar a nós mesmos. Os que estão em Brasília, ou então no gabinete da Prefeitura,  que tanto criticamos são tão humanos quanto nós. Não dou razão à libertinagem com o público, mas não os crucifico. Precisamos parar de falar mal o Ministro fulano de tal que foi descoberto com tráfico de influências e beneficiando A ou B. Há que se chamar mais a luz da responsabilidade.
Se nós somos seres corruptíveis, por outro lado possuímos a capacidade de mudar. Se o que estamos vendo no cenário mundial e brasileiro não nos agrada, já é hora de se perguntar o que podemos fazer. Arregaçar as mangas e ir para a batalha.
Afinal de contas o cidadão de hoje pode ser o político de amanhã e se os bons não assumirem seu papel na comunidade e entenderem a política como uma arte, importante para a sobrevida das nações, de nada adiantará esbravejar com a televisão ou os jornais.
Se eles são corruptos é porque permitimos. Está mais do que na hora de fazer diferente, e sem demagogia.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz