EDITORIAL /

Segunda-feira, 30 de Novembro de -0001, 00h:00

A | A | A

Onde está a deficiência?

braços frágeis que se esforçavam em mexer, uma destreza nos pés, que lhe serviam como mãos e o que mais me chamou atenção, esperança de uma vida melhor nos olhos.


Redação: Janine de Oliveira
Observar a vida é um exercício interessante, há tanto a se aprender sempre.
No sábado particularmente fui à Feira Municipal, algo comum na rotina de muitos primaverenses. Pessoas por todos os lados, cheiro de frango frito, alfaces, tomates, frutas, verduras e uma lição de vida em uma mesinha discreta em uma parte daquele vasto espaço.
A cena despertou a minha atenção, um homem com deficiência física congênita, braços frágeis que se esforçavam em mexer, uma destreza nos pés, que lhe serviam como mãos e o que mais me chamou atenção, esperança de uma vida melhor nos olhos.
E eu pobre ser humano, reclamando do calor, da chuva, das atribulações do trabalho. Assim como eu, quantos dos que passavam ali com seus problemas não menos importantes, fingindo não ver a vida.
Perguntei-me, será que ele sente autopiedade? Afinal, motivos para isso ele teria. Mas ali na feira, sentado em uma cadeira, vendendo o seu produto e atendendo os clientes com tanto carinho e atenção, trabalhando para ganhar o pão, certamente, nem mesmo teria tempo de se sentir relegado por Deus.
Em um olhar sincero como quem louva aos céus por estar ali, o homem, me mostrou que sempre podemos levantar a cabeça e seguir em frente. Lembrei-me de agradecer a Deus, ou a quem for que eu acredite, a oportunidade de acordar todas as manhãs, de ver o sol, ou sentir os pingos da chuva. De poder ter meu trabalho, até mesmo por meus problemas que diante de tanta força e esperança se tornaram formigas.
O nome dele eu não sei. Mas assim como ele existem tantas pessoas, que anonimamente  nos dão demonstrações de que o ser humano é fantástico. Não vamos negar que existem ladrões, traficantes, enganadores, pessoas com pouco caráter, mas estes são a minoria. Nada acontece por acaso, ele estava ali por uma razão.
Que tal iniciarmos a semana de forma diferente, com um novo pensamento, um novo agradecimento. Vendo o que além dos olhos podem mostrar.
A cada novo dia temos a chance de sermos melhores, basta uma  passadinha diante do espelho observando nossa face, se temos apenas uma boca, dois ouvidos e dois olhos, até mesmo isso tem um significado que vai além da estética. Para ouvir e ver mais que falar.
Do nosso protagonista do editorial de hoje, eu sei pouco, o mesmo que as pessoas que estiveram no mesmo local.
Mas a esse brasileiro forte, o agradecimento pela lição de vida, pelo trabalho e por ter me mostrado que sempre somos capazes de muito mais, a deficiência é apenas física, pois sua força de vontade pode mais que seus braços poderiam.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz