EDITORIAL /

Sexta-feira, 03 de Fevereiro de 2012, 17h:54

A | A | A

Chega de BBB

Quer assistir algo que realmente vá mudar a sua vida: Vá fazer trabalho voluntário, exerça o TBC, popularmente conhecido como Tire a Bunda da Cadeira.


Redação: Janine de Oliveira
Não é bom dar audiência para aquilo que nada nos acrescenta. O texto muito bem escrito por um dos mais renomados imortais da Academia Brasileira de Letras, Luiz Fernado Veríssimo, no ano passado ainda na versão 11 do programa mais vigiado da televisão brasileira é celebre, verdadeiro, conciso e magistral.
Um de nossos leitores nos escreveu solicitando que ele pudesse ser publicado, mas como é extenso e não caberia neste espaço e precisamos de autorização para publicar tal artigo vamos apenas frisar algumas partes que podem ser importantes para que iniciemos a parte seguinte de uma reação ao programas de tal qualidade, trocar o canal.
“Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis? São esses nossos exemplos de heróis? Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros, profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores) , carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor e quase sempre são mal remunerados”.
Que tal valorizarmos os professores de nossos filhos, não há melhor momento que este de volta às aulas. Valorizar quem todos os dias de forma anônima varre em frente a nossa rua e leva embora o lixo que não queremos mais. Valorizar as pessoas que também convivem na mesma cidade não jogando bugingangas em frente as suas casas só porque elas moram em um bairro distante do centro da cidade?
“O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral. São apenas pessoas que se prestam a comer, beber, tomar sol, fofocar, dormir e agir estupidamente para que, ao final do programa, o “escolhido” receba um milhão e meio de reais. E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a “entender o comportamento humano”. Ah, tenha dó!!!”
Quer assistir algo que realmente vá mudar a sua vida: Vá fazer trabalho voluntário, exerça o TBC, popularmente conhecido como Tire a Bunda da Cadeira. Então você poderá ver o que é comportamento humano que existem pessoas que precisam de sua força para simplesmente sorrir.
Saia de dentro do carro quando passar por um bairro mais afastado, veja o que aquelas pessoas que te olham com surpresa precisam, veja quais são os sonhos delas, certifique-se de que elas são iguaizinhas a você.
E por fim algo para se aplaudir: “Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa”.
Finalizando, para não voltar mais a esse assunto, que usemos o direito de escolha da forma correta, pois logo decidiremos os rumos de Primavera.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz