propaganda

RETROSPECTIVA /

Quarta-feira, 25 de Dezembro de 2019, 07h:00

A | A | A

Integração de forças policiais garantem a redução da criminalidade na região de Primavera

Ao todo, seis municípios integram o 11º Comando Regional da Polícia Militar que tem um efetivo de 194 policiais


Policia Militar
Imagem de Capa
Da Redação

No ano de 2019, na região que compõe o 11º Comando Regional, foram registradas 4.018 ocorrências. Os números referem-se às cidades de Primavera do Leste, Poxoréu, Campo Verde, Santo Antônio do Leste, Paranatinga e Gaúcha do Norte. O que chama atenção no balanço apresentado pela polícia é a redução de 35% dos crimes considerados de maior potencial ofensivo como roubos e homicídios.

De acordo com o tenente-coronel Cleiton, essa redução se deve à atuação mais incisiva da Polícia Militar e também ao trabalho integrado a outras forças de segurança. “É a Polícia Militar em conjunto com outras forças, dando uma resposta para sociedade, aumentando a sensação de segurança e inibindo a ação de criminosos na rua”, frisou.

Em 2019, foram desencadeadas em toda a região 16 operações, com destaque para a Operação “Salutem”, que promoveu mais segurança para a sociedade de uma forma em geral. “Mais uma vez destaco a união das forças policiais. Na operação “Salutem” houve o envolvimento de várias entidades de segurança pública e do Governo do Estado. Tivemos o apoio do Batalhão de Trânsito, do Batalhão Fazendário, pessoal do Indea, além da Força Tática de Rondonópolis, que veio e juntos alcançamos resultados satisfatórios”, destaca o tenente-coronel.

Um outro dado que se destaca é a redução no registro de ocorrências de crimes considerados de maior potencial ofensivo como roubos, furtos, homicídio e roubos seguidos de morte, foram 720 registros em toda a regional. “Olhando de modo geral tivemos uma diminuição significativa, isso é resultado do policiamento ostensivo e também da dedicação dos policiais que buscam levar segurança para a sociedade”, frisou Cleiton.

No decorrer do ano, os policiais que compõem o 11º Comando Regional apreenderam 94 armas de fogo e 944 munições. 128 pessoas foram detidas por cumprimento de mandado de prisão. Além disso, foram retirados de circulação 300 quilos de pasta base, 17 quilos de maconha e dois quilos de cocaína.

Outro número que se destaca é o de veículos furtados e roubados recuperados pela polícia. Neste ano foram 55 em toda a região.

O tenente-coronel Cleiton classifica como positivo os resultados alcançados, e ressalta que apesar do baixo efetivo (194 policias em toda a regional), a criminalidade não para de reduzir. “Avalio como positivo e satisfatório, apesar de haver redução de pessoal, nós tivemos uma redução no crime em geral. Principalmente nos que mais geram um temor na sociedade que é homicídio, roubo, furto, e só conseguimos através do policiamento do patrulhamento ostensivo, com o apoio do CAR, Força Tática e Inteligência. Nós conseguimos superar as dificuldades e pôr em pratica toda operacionalidade e entregar mais segurança”, ponderou.

O tenente-coronel ainda fez questão de destacar que a sociedade pode esperar dedicação, empenho e trabalho por parte da PM. “Mesmo com risco da própria vida, estaremos nas ruas para cumprir com a nossa missão que é proteger a sociedade”, finaliza.

 

CAPACITAÇÕES AUXILIAM NA REDUÇÃO DA CRIMINALIDADE

Antes da formação, os policiais militares são preparados para agir em diversas situações que podem ocorrer no dia a dia, seja furto, roubo, violência, tentativa de homicídio, fugas, violência doméstica, enfim, inúmeras ocorrências.

Para que o trabalho ocorra com sucesso, é necessário preparo e por isso, os policiais passam por diversos treinamentos e atualizações, tanto na teoria quanto na prática.

Recentemente, militares que compõem a Cia Especializada do Comando de Ações Rápidas (CAR) e Força Tática, que compõem o 11º Comando Regional, passaram por instruções teóricas e práticas em preparação às ações de final de ano.

Os integrantes da Cia Especializada passaram por manutenção do conhecimento de controle de distúrbios civis, equipamentos de impacto controlado, agentes químicos e equipamentos de airsoft.

As atualizações não são somente para meios repressivos não. O primeiro contato com as vítimas, geralmente, quem faz é a Polícia Militar, por isso também há preocupação com estas, principalmente quando se trata de violência.

Através do projeto Divvan, os militares receberam treinamento de como atender vítimas de violência doméstica de forma humanizada, para que seja quebrado o ciclo de violência.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz