propaganda

ECONOMIA /

Quarta-feira, 22 de Abril de 2020, 07h:00

A | A | A

Como se preparar para uma crise econômica?

Em entrevista educadora financeira dá dicas de como manter as contas em dia em época de pandemia


Imagem de Capa
Jaqueline Hatamoto
ALINE.jpg

Aline Barbosa - Educadora financeira

A pandemia do novo coronavírus transformou a vida de todos. Nesse momento, além da atenção com a saúde, é primordial cuidar das finanças. As medidas de isolamento social para conter o COVID-19 estão gerando impactos negativos na economia brasileira. Muitas pessoas estão perdendo o emprego, tiveram salários reduzidos e os pequenos negócios enfrentam dificuldades para continuar funcionando.

 

O atual cenário exige ainda mais organização financeira e controle de gastos para lidar com todas as incertezas da economia. Pensando nisso, reunimos algumas dicas para te ajudar a cuidar das finanças nesse período de crise. De acordo com o relatório divulgado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), a situação atual vai levar a economia mundial a registrar em 2020 o pior desempenho desde a Grande Depressão de 1929. O órgão passou a estimar que o Produto Interno Bruto (PIB) global deve recuar 3% neste ano.

A educadora financeira Aline Barbosa, ressalta que mesmo em meio a uma pandemia e tantos riscos financeiros é possível tirar lições importantes e começar a economizar. “O corona veio para nos alertar sobre a importância de termos uma reserva, de ter uma economia, ter os custos baixos, de não ter parcelas, de não ter compromissos, de se organizar para comprar à vista, com desconto e se de fato é necessário e prioridade”, explicou.

O momento segundo Aline exige cautela, já que o momento em que o mundo está passando exige muitos cuidados, já que trata-se de um período de incertezas. Por isso cuidados básicos como anotar os gastos diários se tornam essenciais bem como, reduzir as despesas. “As pessoas não têm o hábito de acompanhar certinho o que exatamente está gastando. Ter o fluxo de caixa correto, tanto empresarial quanto pessoal para saber o que tem a receber e o que tem a pagar, é necessário. Reduzir os gastos sempre foi algo que orientamos. Mas agora com essas incertezas se torna mais delicada a situação.  Tem que pensar “eu vou ou não comprar isso?” “É prioridade ou não?” Quem antes comprava por impulso precisa ter um certo cuidado”, orientou.

Outra dica da educadora financeira é que as pessoas se organizem em relação as despesas fixas, ao ponto de ter pelo menos seis meses garantidos. “Sobre a reserva, sempre indico no mínimo 6 meses da despesa fixa guardada. Então se ganha R$ 1.000 guarda R$ 100, se ganha R$ 2.000 guarda R$ 200, se ganha R$ 3.000 guarda R$ 300. Se não conseguir guardar 10% do que ganha, qual o sentido? Apenas adquirir as coisas e comprar? É 10% de economia. Essas pessoas que nunca fizeram reservas, agora com o desemprego, algumas que trabalham com prestação de serviço e as que tiveram as horas cortadas, precisarão desta reserva. Quem nunca conseguiu fazer, deve começar a fazer reserva devido as incertezas”, orientou Aline.

Como já publicado pelo jornal O Diário e site Cliquef5, muitas concessionárias de serviços, como água e luz, suspenderam o corte dos serviços por 3 meses. Diante disso muitas pessoas estão deixando de pagar esses serviços. Porém, de acordo com a profissional, as pessoas precisam ter a consciência que, uma hora ou outra, essas contar terão que ser pagas. A orientação neste caso é que a conta seja paga. “Uma hora terá que pagar, se você está empregado, tem um recebimento pague. Por que a conta não vai ser eliminada. Ela terá que ser paga. Agora se realmente precisa se organize. Pague uma do dia e outra atrasada, no decorrer do tempo vai colocando em ordem. Se não afetou o salário não deixe de pagar, até para fomentar o mercado”, ressaltou Aline.

A profissional atribui o descontrole financeiro de muitas pessoas, a falta de uma orientação ao longo da vida. “Essa educação não foi nos dada na escola, não foi nos dada em casa, e não podemos no culpar por não saber. Mas a partir do momento que a pessoa busca uma ajuda. Busca uma orientação e a informação correta, depende dela ter foco, disciplina e meta, para colocar em prática. O que percebemos é que somos muito falhos na disciplina, você até quer colocar em pratica. Mas algo faz com que não consiga.  Mas quando você tem um mentor ao seu lado acompanhando, isso de fato acontece, não tem como acontecer”.

Aline destacou ainda, que mesmo diante de uma crise como a que estamos enfrentando é possível se tirar uma lição. “As pessoas vão aprender na dor. Então a partir de agora eu acredito que muitos aprenderão a lição na prática e vão usar para o resto da vida. Porque quando o mentor fala, ou vemos um vídeo nas redes sociais, acham lindo. Então eu pergunto: O que te impede de fato terminar esse mês, e enxergar o quanto vai gastar, por que não estipular uma cota e metas?”, indagou.

 

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz