Política Nacional /

Quarta-feira, 09 de Outubro de 2019, 14h:30

A | A | A

Joice Hasselmann é condenada a pagar R$ 20 mil por acusação em livro

arrow-options Marcos Corrêa/PR - 30.5.19 Líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP) A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), líder do governo...


Imagem de Capa
Joice Hasselmann arrow-options
Marcos Corrêa/PR - 30.5.19
Líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP)

A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), líder do governo no Congresso, foi condenada a pagar R$ 20 mil por danos morais a um empresário, citado como delator em seu livro sobre a Lava Jato. Hermes Freitas Magnus processou a parlamentar em março de 2018 e afirma que o livro causou-lhe "grande humilhação pública". As informações são da Revista Época

Leia também: "Bolsonaro Caipira" assume prefeitura no interior de São Paulo

O empresário processou Joice Hasselmann pelo livro "Delatores - ascensão e queda dos investigados na Lava Jato", lançado no fim de 2017. A defesa afirma que ter aparecido como "delator" e não como "denunciante" do esquema causou grande sofrimento a Magnus e que a honra pessoal, cívica, patriótica, profissional e o equilíbrio psíquico" do empresário foram "espancados" pela deputada. 

Na época, os depoimentos do empresário contribuiram para a prisão do doleiro Alberto Youssef e de Carlos Habib Chater, primeiro preso na operação. O empresário afirma que, após o livro, começou a passar por sérias dificuldades econômicas e atualmente vive asilado em outro país com a ajuda de amigos e familiares. 

Magnus pediu uma indenização de R$ 2 milhões, solicitou que os livros fossem apreendidos e proibidos até que as informações fossem corrigidas e que Joice fizesse uma retratação pública nas redes sociais. O empresário ainda arquivou ao processo fotos da parlamentar com "carros de luxo" e "inúmeras viagens ao exterior".

Joice, por sua vez, argumentou que Magnus fez uma interpretação "distorcida" do livro e afirmou que o valor da indenização estava fora de seu orçamento. Em um vídeo, a parlamentar sugeriu que ele pedisse o valor a "qualquer um do Congresso Nacional", "para o raio que o parta", e chamou o empresário de "canalhão, envolvidinho na Lava Jato e pilantra de quinta categoria".

Leia também: Bolsonaro diz que acusação de caixa dois é falsa porque não fez campanha

Em junho, o juiz André Augusto Salvador Bezerra, do Tribunal de Justiça de São Paulo, decidiu aceitar a denúncia por danos morais e condenou a deputada a pagar a indenização de R$ 20 mil. Mesmo assim, o empresário recorreu e quer receber os R$ 2 milhões. O caso aguarda julgamento na segunda instância. 


0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz