Mato Grosso /

Sábado, 09 de Novembro de 2019, 22h:30

A | A | A

Politec apresenta resultado de ações de perícias em incêndios florestais

De janeiro a novembro de 2019, 20 perícias de incêndios florestais foram realizadas pela Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), na Região...


Imagem de Capa

De janeiro a novembro de 2019, 20 perícias de incêndios florestais foram realizadas pela Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), na Região Metropolitana de Cuiabá. As perícias ambientais desta natureza buscam a identificação da origem do fogo, a causa, o agente causador e a quantificação das áreas atingidas pelos incêndios.  

Os dados foram apresentados na sexta-feira (08.11), durante a 3ª Reunião Ordinária do Comitê Estadual do Fogo, com a participação de diferentes agências estaduais e federais que atuam na prevenção, monitoramento e controle das queimadas e dos incêndios florestais no Estado.

O grupo é presidido pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e a secretaria executiva é de responsabilidade do Corpo de Bombeiro Militar (CBMMT), por meio do Batalhão Especial de Emergências Ambientais (BEA). Integram o grupo instituições públicas, empresas privadas, ONGs e entidades de classe.

Durante a apresentação, a perita oficial criminal Quezia Vicente Pereira citou as principais ações realizadas pela Politec no apoio às operações de combate a incêndios florestais em 2019, como as três edições da Operação Abafa (Amazônia e Araguaia), que mobilizaram cinco peritos.

Ela explicou que a preparação para atender a estas demandas mais críticas do ano teve início em maio e junho, por meio de duas capacitações junto ao Corpo de Bombeiros Militar no curso de geoprocessamento para incêndios florestais.

“A Politec está inserida no contexto da responsabilização criminal dos autores, que pode gerar penalidade ou detenção. Nossa atribuição é identificar a origem do incêndio, e o agente causador, que pode ser causado pelo homem ou por causas naturais. Mesmo que o proprietário não seja o agente causador, ele é responsável pelos aceiros e proteção da área para se evitar o incêndio florestal”, pontuou.

A reunião contou com a participação de representantes do Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Militar de Proteção Ambiental, do Ibama, Funai, Famato, ICMBio, Universidade Federal de Mato Grosso, Sesc Mato Grosso e Politec.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz