Internacional /

Sábado, 08 de Junho de 2019, 09h:49

A | A | A

Justiça mantém interditada Ciclovia Tim Maia, que pode ser demolida

Fernando Frazão/Agência Brasil Ciclovia vai passar por análise da prefeitura e pode acabar sendo demolida A Justiça do Rio condenou a prefeitura...


Imagem de Capa
Ciclovia Tim Maia
Fernando Frazão/Agência Brasil
Ciclovia vai passar por análise da prefeitura e pode acabar sendo demolida

A Justiça do Rio condenou a prefeitura do Rio a manter interditada a Ciclovia Tim Maia e a demolir a estrutura, caso não se verifique segurança para os usuários. Na sentença, divulgada nesta sexta-feira (7), a juíza Natascha Maculan Dazzi, da 9ª Vara de Fazenda Pública da Capital, fixou multa diária de R$ 50 mil, em caso de descumprimento da ordem. Também foi condenado o consórcio construtor Contemat-Concrejato.

Leia também: Idosa é atacada por onça e quase perde a mão ao tentar salvar cachorro em Goiás

A sentença determina que, "no trecho compreendido entre o nº 318 da Avenida Niemeyer, no Leblon, e a Praia de São Conrado, até que a obra de reconstrução seja periciada e tenha sua segurança atestada pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-RJ)”. O prazo estabelecido pela juíza para que a perícia na ciclovia seja feira é de até 120 dias.

A Justiça fixa que se o Crea atestar que a obra não tem condição de ser utilizada pela população, a sentença determina ao município a interdição e demolição da ciclovia, no prazo de até 60 dias. Já o Consórcio Contemat-Concrejato, responsável pela construção, foi condenado a pagar indenização de R$ 300 mil pelos danos morais causados à coletividade. O valor será revertido para o Fundo Estadual de Conservação Ambiental.

A ação civil pública foi ajuizada pelo Ministério Público logo após o desmoronamento ocorrido no feriado de 21 de abril de 2016 – três meses depois de inaugurado o trecho que liga os bairros do Leblon a São Conrado, na zona sul. Durante uma forte ressaca na orla carioca, uma onda bateu nas pedras do costão da Avenida Niemeyer e derrubou cerca de 20 metros da ciclovia. Duas pessoas que passavam na hora morreram no acidente.

Estudo das marés

Na sentença a juíza Natascha Dazzi destacou que a “ação ascendente das ondas” foi a causa do acidente na Ciclovia Tim Maia em abril de 2016 e que o impacto das ondas sobre a estrutura da ciclovia não foi considerado no projeto original e nem no laudo técnico do perito judicial com relação às estruturas remanescentes da estrutura. “O estudo de ondas no costão é absolutamente indispensável para a análise da estrutura da ciclovia e para a sua liberação para fins de uso pela população do Rio de Janeiro ”, escreveu.

Leia também: Sete cidades brasileiras estão entre as 100 com o pior trânsito; confira ranking

Um laudo elaborado pelo Crea a pedido da Justiça concluiu que a execução da obra não obedeceu às normas técnicas vigentes em toda a sua extensão, e não apenas no trecho que desabou inicialmente. Por meio de dois ofícios, o Instituto Nacional de Pesquisas Hidrográficas (INPH) informou ser imprescindível a realização de estudos oceanográficos somados a outros estudos técnicos, não havendo no processo informação da prefeitura sobre a sua realização.

Procurada, a prefeitura do Rio respondeu: "Assim como vem sendo desde 2016, a Ciclovia Tim Maia permanecerá fechada". A Concrejato foi procurada, por meio de sua assessoria, mas ainda não se manifestou.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas

26/06 - Em cerimônia pontuada por bom gosto e emoção na Igreja Matriz, Thayara Rodrigues & Duan Pilonetto receberam a bênção matrimonial no último sábado, 22. Impecavelmente vestida pelo estilista mais famoso do Brasil, Lucas Anderi, a noiva emocionou os convidados logo antes da sua entrada com depoimento para o noivo. Já ele usava um terno Camargo, sendo que o estilista fez questão de colocá-lo em suas redes sociais. Com um flashmob feito pela Musique Casamentos, cantores e violinos surgiam entre os convidados enquanto as alianças eram conduzidas pela avó da noiva ao altar. Queima de fogos iluminaram a noite ao final da cerimônia religiosa. O salão do Centro de Eventos Primacredi foi transformado com suntuosa decoração por Anna Carolina para receber o em torno de 500 convidados para a celebração da boda. O buffet sempre agradável de Dulce Aguiar, (Roo) servia de volantes como as panelinhas quentes até um buffet de comida japonesa requintado, na ímpar noite que foi adoçada pelas receitas de Claudete Zandoná. A animação da festa ficou a cargo da Banda Bis de Cuiabá, além do receptivo da Musique com apresentação do Brass Live durante a festa que foi até as 6 da manhã. Um dos pontos altos da noite foi a surpresa feita pelos padrinhos que interromperam o final da apresentação dos noivos, surpreendendo com todas as músicas que os recém casados gostam e fazendo a festa já pegar fogo, mais uma das brilhantes ideias do Cerimonial Fabiano Fernandez que produziu e atendeu todo o evento com a mesma maestria de sempre, já conhecida e aprovada. Confira mais flashes by Marcello Holanda . Fotos oficiais Fares Rames.

Você é a favor ou contra a revitalização das Avenidas de Primavera?
A favor.
Contra.
Não tenho opinião formada sobre o assunto.