propaganda

EFEITO COVID-19 /

Terça-feira, 25 de Agosto de 2020, 06h:30

A | A | A

Festas e aglomerações chamam atenção durante o final de semana em Campo Verde

Festas e aglomerações continuam proibidas na cidade


Imagem de Capa
Da Redação

As festas e aglomerações, até mesmo em via pública, chamaram atenção da população, pelo menos da parte que se previne, contra o contágio do Coronavírus em Campo Verde. O município tem flexibilizado as medidas de prevenção à doença, pois o número de contágio no município é considerado baixo, segundo a classificação da Secretaria Estadual de Saúde, porém, ainda existem regras rígidas em vigor, que não estão sendo observadas pela população. 

 

Nossa redação recebeu muitas denúncias de que no último final de semana, principalmente no domingo (23), haviam muitos jovens na Av. Brasil, aglomerados, com som alto e consumindo bebidas alcoólicas, todos sem máscaras, como se já não existisse mais o risco de contágio, o que não é verdade.

Além disso, os denunciantes disseram que muitos deles consomem tereré no mesmo recipiente, passando de boca em boca, e falaram sobre uso de narguilé, que também passa de um para outro sem qualquer medida preventiva, o que segundo as autoridades de saúde, é um prato cheio para o contágio do vírus.    

Atualmente existem na cidade segundo os últimos boletins da Secretaria Municipal de Saúde - SMS mais de 100 casos ativos do vírus, vale ressaltar que pelo menos 27 pacientes estão internados em enfermarias e UTI’s, inclusive as 10 vagas de UTI’s da cidade, que são exclusivas para Covid-19, estão sempre ocupadas. Ou seja, o vírus ainda não parou de circular no município, que tem confirmado, segundo os últimos dados obtidos, 1380 casos e 21 óbitos. Segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde, a transmissão do vírus em Campo Verde é comunitária, ou seja, já não é mais possível saber a origem da contaminação.

O Tenente Coronel da Polícia Militar de Campo Verde, Anderson Luís, ressaltou em entrevista que o principal problema está na interpretação feita pelo cidadão. “As pessoas confundem a flexibilização do decreto, com a situação de estar tudo liberado, e não é dessa maneira que funciona, o decreto 077 e 022 ainda estão valendo e proíbem aglomeração de pessoas, ainda mais em vias públicas. Outra situação que estamos percebendo que vem acontecendo são as festinhas em residências, o decreto permite reuniões de no máximo 10 pessoas, não é para fazer aniversário de 15 anos, como as que encontramos e tivemos que acabar neste final de semana, ainda não é hora disso, deixa para fazer depois da pandemia, ainda tem pessoas morrendo e ficando doente não podemos baixar a guarda”, enfatizou o Ten. Coronel.

O artigo 4º do decreto 077/2020 deixa claro nos incisos as proibições:  “IX - outros eventos e atividades que demandem aglomeração ou reunião para fins recreativos de pessoas em avenidas, ruas, canteiros, praças e logradouros públicos;

X - Fica expressamente proibido, em qualquer estabelecimento comercial, especialmente tabacarias e congêneres o consumo de narguilé ou qualquer espécie de tabaco de uso compartilhado”.

Os comércios também devem respeitar o horário limite de atendimento presencial até as 22h, mas segundo as autoridades, os comerciantes já se adaptaram as regras e não causam transtornos, o principal problema é realmente parte da população, que insiste em causar problemas.

As multas de R$ 500,00 para quem faz aglomerações, continuam sendo confeccionadas pelos agentes de fiscalização da vigilância sanitária, com o apoio da PM, segundo informa o decreto e confirma a diretoria do órgão. 

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz