propaganda

ENTREVISTAS /

Segunda-feira, 14 de Setembro de 2020, 06h:30

A | A | A

Entrevista com pré-candidatos a prefeito de Campo Verde


Imagem de Capa
Da Redação

Campo Verde tem três pré-candidatos a prefeito, segundo levantamento feito pelo Jornal O Diário. O engenheiro agrónomo Alexandre Lopes de Oliveira pelo PDT. Pelo partido SOLIDARIEDADE, Antônio Cesar dos Santos se lançou pré-candidato. Ricardo Evangelista é pré-candidato pelo PSL.

Caso sejam oficializadas as candidaturas, os três disputarão a preferência dos 29.781 eleitores de Campo Verde que deverão ir às urnas no dia 15 de novembro para escolher o chefe do executivo e os 13 vereadores para um mandato de quatro anos. Além disso, excepcionalmente em Mato Grosso, deverão escolher um senador.

Com objetivo de conhecer melhor os pré-candidatos, o Jornal O Diário realizou uma entrevista com Alexandre e Antônio. O objetivo é apresentar quem são os pré-candidatos a prefeito da cidade. Ricardo, que também é pré-candidato, foi procurado por nossa equipe, porém, não respondeu ao questionário.

Buscando a imparcialidade e acima de tudo o tratamento isonômico, os pré-candidatos tiveram direito ao mesmo espaço e responderam as mesmas perguntas formuladas pela equipe de reportagem do Jornal O Diário.

A realização de entrevistas de pré-candidatos é autorizada pela lei 13.165/15, que diz em seu que “Não configuram propaganda eleitoral antecipada, desde que não envolvam pedido explícito de voto, a menção à pretensa candidatura, a exaltação das qualidades pessoais dos pré-candidatos e os seguintes atos, que poderão ter cobertura dos meios de comunicação social, inclusive via internet.

I - a participação de filiados a partidos políticos ou de pré-candidatos em entrevistas, programas, encontros ou debates no rádio, na televisão e na internet, inclusive com a exposição de plataformas e projetos políticos, observado pelas emissoras de rádio e de televisão o dever de conferir tratamento isonômico”.

As entrevistas estão dispostas em ordem alfabética.

 

PRÉ-CANDIDATO A PREFEITO: ALEXANDRE LOPES DE OLIVEIRA (PDT)

ALEXANDRE LOPES 2.jpg

Arquivo pessoal

Alexandre Lopes de Oliveira, 41 anos é engenheiro agrônomo em Campo Verde.  Representando o Partido Democrático Trabalhista (PDT), o pré-candidato diz ter experiência em gestão, ressalta que não se deve permitir que as mesmas pessoas façam política.

 

JORNAL O DIÁRIO:  Nome, idade, formação?

PRÉ-CANDIDATO: Alexandre Lopes de Oliveira, 41 anos, engenheiro agrônomo.

 

JORNAL O DIÁRIO - Partido que representa, irá haver alguma coligação? Quem é o pré-candidato a vice?

PRÉ-CANDIDATO: Eu pertenço ao Partido Democrático Trabalhista (PDT), nós ainda não temos o vice definido, pois temos deixado isso mais para o final das convenções, onde podemos analisar todas as indicações dos partidos que compõe esse arco e fazer uma escolha de maneira mais tranquila e respeitando tudo aquilo que colocamos como prioridade.

 

JORNAL O DIÁRIO: Por que resolveu colocar o nome à disposição como pré-candidato a prefeito?

PRÉ-CANDIDATO: Por entender que a renovação é necessária, por entender que nós temos que nos colocar à disposição para que a gente possa participar das mudanças necessárias do local que nós vivemos. Não podemos permitir que as mesmas pessoas façam política. Não podemos permitir que a política fique em torno de um grupo de pessoas, portanto não só eu, mas eu também aproveito a oportunidade para chamar a atenção de outras pessoas, que façam política, se envolvem com a política, por quê a renovação política ela é salutar.

 

JORNAL O DIÁRIO: Tem alguma experiência em gestão pública?

PRÉ-CANDIDATO: Não tenho experiência com gestão pública. Eu tenho experiência com gestão de uma maneira geral. Gestão que você faz de maneira propositiva, gestão que você faz respeitando todos os mecanismos que necessita, gestão que você faz com proatividade! Mas especificamente gestão pública, não. Como eu falei, eu tenho experiência com gestão.

 

JORNAL O DIÁRIO: Caso seja eleito qual será sua prioridade na formação de sua equipe de secretários?

PRÉ-CANDIDATO: Nós iremos priorizar aquelas pessoas que tenham uma pegada técnica, as pessoas que realmente entregam algo ao final do dia, nós iremos fazer com que as pessoas que irão liderar esse processo elas sejam vistas pela sua competência, pela sua atitude, mas que também tenham senso de prioridade e urgência. Afinal de contas essas pessoas irão também estar cuidando de gente.

 

JORNAL O DIÁRIO: Qual sua proposta de governo?

PRÉ-CANDIDATO: De uma maneira geral nós temos que pensar em desenvolver Campo Verde, priorizar a industrialização, a verticalização, só que para isso nós precisamos resolver um problema crônico em nosso município que é a falta de energia elétrica. Ao mesmo tempo temos que promover políticas públicas que atendam às necessidades sociais de fato, estou falando de uma saúde humanizada, de uma educação moderna, e uma segurança pública de qualidade. Nós temos que promover o bom atendimento à população, isso aí tem que resultar em qualidade de vida, renda e desenvolvimento. A palavra-chave é desenvolvimento, eu quando digo isso, eu não estou focando somente a questão econômica, mas também a questão de atendimento e da qualidade de vida.

 

JORNAL O DIÁRIO: Em seu ponto de vista, o que Campo Verde tem de bom, no que cidade precisa melhorar?

PRÉ-CANDIDATO: Além do solo e do clima, além da sua vocação produtiva, o que Campo Verde tem de bom é seu povo. O que nós precisamos melhorar é a geração de emprego, estamos passando por um momento muito complicado, muito travado, e isso tem influenciado diretamente na vida da população campoverdense, há pouca oferta de empregos, isso tem que ser mudado, isso tem que melhorar.

 

JORNAL O DIÁRIO: O pré-candidato acredita que tem respaldo popular para concorrer à prefeitura, está otimista?

PRÉ-CANDIDATO: Sim, temos o respaldo. Por sinal temos percebido o quanto a população está interessada pelo novo, mas o novo que entrega resultado. E isso naturalmente gera um grande otimismo.

 

JORNAL O DIÁRIO: Se fosse prefeito, o que teria feito diferente no enfrentamento à Covid-19?

PRÉ-CANDIDATO: É bom que fique claro que eu não sou da área de saúde, mas eu teria acelerado, processos que resultassem em diagnósticos precoce e antecipação do tratamento da Covid-19.

 

 

JORNAL O DIÁRIO: No pós-pandemia, se houver alguma capacidade de investimento, onde o senhor concentraria os recursos da cidade nos próximos anos e por quê? O que seria prioridade no pós-pandemia?

PRÉ-CANDIDATO: A principal prioridade pós pandemia, é você promover o retorno das atividades essenciais, como educação e saúde, e promover esse retorno com segurança. Tanto para população quanto para os funcionários. Agora no tocante as questões econômicas, é você promover a recuperação da renda do cidadão, o cidadão ele precisa ter renda, para que as coisas também se encaixem, essas seriam as principais prioridades.

 

PRÉ-CANDIDATO A PREFEITO: ANTÔNIO CÉSAR - CESINHA - (SOLIDARIEDADE)

IMG-20200910-WA0027.jpg

Arquivo pessoal

 

Antônio César dos Santos, 55 anos é técnico agrícola e empresário em Campo Verde.  Representando o Partido Solidariedade, o pré-candidato diz ter vasta experiência no terceiro setor e que resolveu colocar o nome à disposição com objetivo de buscar novos rumos para a administração pública.

 

JORNAL O DIÁRIO - Nome, idade, formação?

PRÉ-CANDIDATO: Cesinha (Antonio César dos Santos), pessoa pública e bem querida no município, 55 anos, técnico agrícola, graduando em Direito, empresário campoverdense.

 

JORNAL O DIÁRIO: Partido que representa, irá haver alguma coligação? Quem é o pré-candidato a vice?

PRÉ-CANDIDATO: Represento o Partido Solidariedade, estaremos coligados a partidos interessados em inovar na gestão pública como o PROS onde temos como pré-candidato a vice o Vereador Zé Maria (José Maria dos Santos) atuante e reconhecido publicamente.

 

JORNAL O DIÁRIO: Por que resolveu colocar o nome à disposição como pré-candidato a prefeito?

PRÉ-CANDIDATO: A motivação para minha pré-candidatura partiu novamente da força e do desejo que o povo campoverdense tem em buscar novos rumos para a administração pública. Em reuniões políticas sempre sou citado e apoiado pela população em geral. Isso me dá condição e me move para mais uma disputa eleitoral e pré-candidatura a prefeito do município de Campo Verde. Juntando esse apoio popular ao amor que tenho por essa cidade, construiremos um governo com uma gestão mais humana e mais competente, com o povo e para o povo. Posso dizer com toda convicção que sou amigo de Campo Verde, que sou amigo e pré-candidato do povo campoverdense.

 

JORNAL O DIÁRIO: Tem alguma experiência em gestão pública?

PRÉ-CANDIDATO: Sim, no terceiro setor, colaborei com a criação e expansão de cooperativas, mobilizando a força produtiva do município, prospectando novos negócios, oportunidades de geração de renda e criação de frentes de trabalho popular, que em parte hoje está estabelecida no nosso município. Estou pronto para novos desafios e me comprometo a aplicar o conhecimento adquirido através das minhas experiências profissionais e todo aprendizado acadêmico.

 

JORNAL O DIÁRIO: Caso seja eleito qual será sua prioridade na formação de sua equipe de secretários?

PRÉ-CANDIDATO: Investiremos nossos esforços em aprimorar as competências técnicas de nossos funcionários, nos apoiando nos programas de integridade dos governos federal e estadual. Nossa prioridade é formar uma equipe extremamente técnica e humanizada com graduação e especificidade na área de atuação.

 

JORNAL O DIÁRIO: Qual sua proposta de governo?

PRÉ-CANDIDATO: Nossa proposta de governo é, primeiramente, a humanização em todos os setores da administração pública e a valorização do cidadão campoverdense, no quesito da dissolução da desigualdade social, trazendo emprego e renda para o município, para que nosso povo tenha oportunidades e qualidade vida.

 

JORNAL O DIÁRIO: Em seu ponto de vista, o que Campo Verde tem de bom, no que cidade precisa melhorar?

PRÉ-CANDIDATO: O que Campo Verde tem de melhor é seu povo, povo comprometido, trabalhador, povo de luta e povo de vitórias, povo que nos inspira, povo merecedor de um governo inovador e atuante. O que precisamos melhorar em Campo Verde é geração de emprego e renda. Temos potencial agroindustrial e têxtil. Precisamos melhorar nossa logística, infraestrutura e capacidade energética para atrair novos investidores. Precisamos de incentivos tanto para investidores internos quanto externos. Valorizar e apoiar nossos comerciantes e empresários, estimulando o crescimento tão aguardo do nosso município.

 

JORNAL O DIÁRIO: O pré-candidato acredita que tem respaldo popular para concorrer à prefeitura, está otimista?

PRÉ-CANDIDATO: Posso afirmar que, se não fosse pela opinião popular e apoio do cidadão de Campo Verde nós não estaríamos engajados nessa disputa democrática pela gestão do nosso município. Quanto ao otimismo, somos todos cristãos, por isso seremos otimistas sempre. Estamos seguros com a pré-candidatura. Além disso, temos nos identificado muito com a população, e visto neles a intenção de melhorias e respeito a nossa pré-candidatura para representá-los.

 

JORNAL O DIÁRIO: Se fosse prefeito, o que teria feito diferente no enfrentamento à Covid-19?

PRÉ-CANDIDATO: Teria um diálogo mais franco com a sociedade campoverdense, para que as tomadas de decisão fossem dirigidas por ação popular junto com as ações de governo, respeitando claro as políticas envolvidas no combate a pandemia.

 

JORNAL O DIÁRIO: No pós-pandemia, se houver alguma capacidade de investimento, onde o senhor concentraria os recursos da cidade nos próximos anos e por quê? O que seria prioridade no pós-pandemia?

PRÉ-CANDIDATO: Projetos e ações nas áreas da logística, infraestrutura e energia, preparando o município para um novo tempo, atraindo novos investidores e gerando oportunidades e empregos, aquecendo assim nossa economia. Nossa prioridade de governo é trabalho e emprego, qualidade de vida do nosso povo, melhoria da nossa logística, infraestrutura e energia.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz