SÉRIE:CADA PONTO TEM SEU CONTO /

Sexta-feira, 05 de Maio de 2017, 07h:00

A | A | A

Euripedes Arcanjo dedicou-se à família e era sempre disposto a ajudar

Praça localizada no São Bairro Cristóvão, leva o nome do pioneiro que já foi sub delegado


Carregando fotos
Pérsio Souza

A Praça Euripedes Arcanjo da Silva fica situada no bairro São Cristóvão, entre as Ruas Alberto Baraldi, Érico Trevisol, Alcides Larazetti e Rosa Casarin. O projeto de Lei Nº 1352  que institui a criação da praça foi aprovado em 02 de Maio de 2013. O local contém academia para idosos, parque para crianças, pista de caminhada e iluminação.

Euripedes Arcanjo da Silva nasceu em 1920 no sertão da Bahia, mas deixou a casa dos pais à procura de uma vida melhor.

Com perseverança e muita coragem, ele saiu do sertão e depois longa jornada de 56 dias caminhando, tendo como único alimento a rapadura com farinha e carne seca de animal do mato. A sede era saciada apenas nas travessias que encontrava pelo caminho chegou a território mato-grossense.

Em 12 de outubro de 1937, Euripedes Arcanjo chegou até Alto Coité, onde começou a escrever a sua história enfrentando muitas barreiras, trabalhando no sol e chegando até ser sub delegado da Delegacia de Poxoréu.

Na época, Primavera do Leste era distrito de Poxoréu, em que ele também atuou como delegado da época, afim de manter a lei e a ordem no local, ficou no posto por  35 anos e enfrentou muitos perigos e defendeu muitas pessoas, colocando até mesmo a própria vida em risco.

Ele teve 23 filhos, e se casou duas vezes, Ilda Alves Carvalho foi com quem viveu até falecer, e teve 12 filhos, quem sempre o encorajava. Eles se mudaram para Primavera do Leste em 1996 e foram morar no  bairro Cohab Jaime Campos.

Aos 79 anos, Euripedes recebeu o diploma de cidadão mato-grossense do governador Dante Martins de Oliveira. Foi intitulado Cidadão Poxoroense e como só tinha estudado até a quarta série, voltou a estudar e mostrou que idade não é um obstáculo para ninguém, mas que precisava de força de vontade.

Euripedes Arcanjo da Silva tinha uma personalidade pura, sempre buscou ajudar aqueles que necessitavam, estendendo a mão e não desistia das dificuldades que apareciam. Sempre muito comunicativo, utilizava o diálogo como  forma de resolver problemas, mesmo que eles não fossem seus.

Como Euripedes gostava de ajudar as pessoas, era envolvido em trabalhos sociais, porém, preferia manter no anonimato, se dedicando com amor, carinho e respeito a todos, do adolescente ao idoso.

O neto e radialista Herbert Vianna conta que o avô era de uma personalidade forte e ao mesmo tempo brincalhão, e sempre sincero.

Herbert diz que a família vê a praça que leva o nome de Euripedes como uma bela homenagem, pois ele foi um dos pioneiros, quando ainda começou a ser distrito de Poxoréu. “Ele ajudou no início com todo o conhecimento. Ele viu Primavera nascer. Este projeto foi uma ideia minha, pela importância que ele teve para Primavera”, ressalta.

Um dos hobbys de Euripedes era pedalar pela cidade, mesmo com a idade avançada, amava ver Primavera. O neto conta que, além disto, ele era flamenguista ‘roxo’.

Algo que marcou Herbert, foi um dos pedidos do avô, onde pediu ao neto  para construir uma história de sucesso em Primavera, tanto profissional, quanto espiritual. “Assim me tornei locutor da FM. Antes dele falecer, havia recebido meu primeiro prêmio de melhor locutor local em duas premiações anuais de empresas, e ele ficou super orgulhoso”, relembra.               

O neto ainda acrescenta que o avô deixou grandes lições como: “ter força de vontade quando se quer algo, ter fé e determinação acima de tudo, e sempre ensinou respeitar o próximo principalmente.                

 

Euripedes Arcanjo da Silva faleceu em 08 de março de 2008, aos 87 anos, vítima de trombose. Ele foi pai, avô, bisavô, tataravô, filho, irmão, locutor, policial, garimpeiro, carpinteiro, marceneiro, pedreiro, leiloeiro, e ainda tinha tempo  de ajudar ao próximo.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Voce gostaria que a MT-130 até Paranatinga fosse privatizada?
Sim
Não
Tanto faz