OPINIÃO /

Quarta-feira, 22 de Março de 2017, 07h:22

A | A | A

"Jeitinho Brasileiro"

Talvez seja, realmente, difícil para quem convive nesse contexto de Brasil entender os que habitam aqui.


Imagem de Capa
Ítalo Berto

 

 

A  moto foi feita para comportar duas pessoas! Se um flagrante em desrespeito a essa regra é feito pela CMTU, logo parte da população deixa sair de boca a fora a demonstração de pena por aquela família não ter condições de levar os filhos na escola, ir trabalhar e realizar todas as atividades diárias que o mundo capitalista exige. Se as devidas providências são tomadas em relação ao filho do cidadão com bom poder aquisitivo, por infringir as regras e conduzir veículos automotores antes do tempo permitido pela lei, reclama-se sobre a indústria de multas. Como entender o Brasileiro?

Talvez seja, realmente, difícil para quem convive nesse contexto de Brasil entender os que habitam aqui. Mas um americano chamado Mark Manson, que conhece, gosta e é casado com uma moradora do Brasil, em um texto intitulado “Uma Carta Aberta ao Brasil”, coloca o entendimento dele sobre o brasileiro e os culpam pelo país ser como é.

A carta é imensa. Não há espaço físico nessa edição para que possamos compartilhar na íntegra – mas a internet está aí. Por isso, O Diário separou parte do texto que cabe como exemplo a ser acrescentado nessa opinião:

“O problema é tudo aquilo que você e todo mundo a sua volta decidiu aceitar como parte de ‘ser brasileiro’, mesmo que isso não esteja certo”.

“[...] Eu percebo que vocês, brasileiros, são solidários, se sacrificam e fazem de tudo por suas famílias e amigos mais próximos e, por isso, não se consideram egoístas.”

“Mas, infelizmente, eu também acredito que grande parte dos brasileiros seja extremamente egoísta, já que priorizar a família e os amigos mais próximos em detrimento de outros membros da sociedade é uma forma de egoísmo.”

“[...] Por aqui, se alguém está 1h atrasado, todo mundo fica esperando essa pessoa chegar para sair. Se alguém decide ir embora e não esperar, é visto como chato. Se alguém na família é irresponsável e fica cheio de dívidas, é meio que esperado que outros membros da família com mais dinheiro ajudem a pessoa a se recuperar. Se alguém num grupo de amigos não quer fazer uma coisa específica, é esperado que todo mundo mude os planos para não deixar esse amigo chateado. Se em uma viagem em grupo alguém decide fazer algo sozinho, este é considerado egoísta.”

“É sempre mais fácil não confrontar e ser boa praça. Só que onde não existe confronto, não existe progresso. O ‘jeitinho brasileiro’ precisa morrer. Essa vaidade, essa mania de dizer que o Brasil sempre foi assim e não tem mais jeito também precisa morrer. E a única forma de acabar com tudo isso é se cada brasileiro decidir matar isso dentro de si mesmo.”

E aceitar que pais coloquem em risco a vida de seus filhos, pelo fato de ele não ter condição de transportá-lo de outra forma e, sentir dó quando essa pessoa é penalizada, é mais um “jeitinho brasileiro” que reflete a realidade do país, onde mora um povo que oculta suas dificuldades de convivência social enquanto aponta o dedo para os corruptos que mídia deixa em evidência.

 

Para finalizar, na opinião do coordenador da CMTU, o caso da menor machucada é de responsabilizar dos pais, “é caso de polícia, que junto ao conselho tutelar devem localizá-los e fazê-los cumprirem o dever de proteger a criança, e não deixar de prestar socorro para beneficiar a eles mesmos”, disse Romualdo Bispo.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas

21/05 - Na noite do último sábado, 19, os holofotes estavam voltados para o casal Rosi e Moacir Quaini que celebrou 30 anos de união com pomposa festa, no centro de eventos Primacredi. A romântica história de amor que teve inicio em 1988, na Catedral do Divino Espirito Santo, em Cruz Alta- RS, foi reafirmada, dessa fez com a presença dos frutos da união, os filhos Leonardo e Letícia Quaini. Há cerca de aproximadamente um ano juntamente com a cerimonialista Sibeli Salvatori os noivos começaram a organizar a noite que será eternizada para sempre. Profissionais de mão cheia foram convocados para a suntuosa comemoração. A décor Silvânia Costa traduziu toda a magnitude da celebração nos detalhes da imponente decoração em tons de branco, verde e champanhe. O buffet foi assinado pela requisitada Mirian Avila, e o repertório musical ficou por conta da banda Comunicasom que animou os convidados até altas horas da matina. Os filhos Letícia e Leonardo não conteram as lágrimas ao proferirem homenagem aos pais expressando todo amor, carinho e gratidão ao voltarem ao tempo e relembrar, como a união pautada no amor e cumplicidade vence os desafios do tempo. A bênção de renovação dos votos de amor e fidelidade foi ministrada pelo frei Constantino e testemunhada por em torno de 250 convidados que celebraram o momento ímpar com a família que esbanjou felicidade do começo ao fim da noite. As fotos oficiais foram registradas pelas criteriosas lentes do cuidadoso e atento fotógrafo Marcello Holanda. Nossa coluna hoje é exclusiva em homenagem a badalada Bodas de pérola e destaca momentos de emoção dos queridos Rosi e Moacir Quaini que distribuíram abraços e sorrisos durante toda a comemoração. Confiram!

Você é a favor ou contra a revitalização das Avenidas de Primavera?
A favor.
Contra.
Não tenho opinião formada sobre o assunto.