POPULAÇÃO INDIGNADA /

Terça-feira, 16 de Abril de 2019, 14h:18

A | A | A

Vereadores devem se reunir para analisar lei de doação de área ao Parque de Exposição


Imagem de Capa
Jaqueline Hatamoto

Os vereadores de Primavera do Leste devem se reunir nos próximos dias para analisarem juntos a lei 421/97, que trata sobre a autorização da doação de 25 hectares do Parque Municipal de Exposições “Sebastião Patrício”, ao Sindicato Rural de Primavera do Leste. O motivo da análise se dá pelo fato de o Sindicato Rural não ceder a estrutura do local para a realização da Expoprima 2019.

Através das redes sociais o vereador Elton Baraldi – Nhonho, se manifestou a respeito do assunto. “O assunto é um tema polêmico e que desperta muita discussão. Mas como legisladores, jamais iremos fugir do debate e dos interesses da coletividade. É bom que se esclareça que existe uma concessão da prefeitura ao Sindicato Patronal Rural de Primavera do Leste, isso ocorrido há anos, e é esse Contrato de Concessão que estaremos analisando e debatendo entre todos vereadores. Porque há uma cobrança da sociedade quanto a essa questão e nós como legisladores temos que aprofundar essa discussão, analisar todos os termos dessa concessão e verificar de fato, até que ponto é interessante aos interesses dos cidadãos e da gestão pública. Vale ressaltar que os princípios da supremacia do interesse público e da sua indisponibilidade, sempre se sobrepõem na gestão pública, e todos os demais princípios na administração pública são desdobramentos desses dois princípios em questão. Esse é o nosso trabalho, nossa conduta!”

Tentamos contato com a Câmara Municipal para saber qual dia será a reunião, mas não obtivemos resposta até o fechamento da edição.

 

POR QUE EXPOPRIMA NÃO SERÁ REALIZADA NO PARQUE DE EXPOSIÇÃO?

Depois de cinco anos sem ser realizada, foi anunciada recentemente a volta da Expoprima, porém, uma informação chamou a atenção, a festa que sempre foi tradição em Primavera do Leste e coloca a cidade em destaque regional e estadual, não será realizada nas dependências do Parque de Exposições, e sim em uma área próxima ao local, apenas o estacionamento do parque será utilizado.

“Por favor, alguém sabe me informar se a Expoprima vai ser realizada no parque de exposição. Que o sindicato rural tornou-o só dele ou não? Pergunta: A infraestrutura criada e patrocinada pela prefeitura (povo) será mais uma vez privada de desfrutá-la ou será que tal local servirá única e exclusivamente a Farm show, me ajudem a entender, aquele patrimônio não pertence ao povo de Primavera??????”, questionou João Lima através de um grupo de interação mantido pelo jornal O Diário, após a divulgação de informação a respeito da venda de passaportes para a festa. João ainda opinou que “Aquele local obrigatoriamente tem que servir aos interesses de toda a população de Primavera e não somente a um segmento da sociedade. Só não entendo porque as autoridades de nosso município não se manifestam, mesmo depois das ótimas colocações feitas por você Freitas, quando da sua reportagem falando a respeito”.

“Qual a explicação para não realizar a Expoprima dentro do parque?, indagou Warlen Teixeira através do mesmo canal de comunicação.

Além das duas manifestações descritas acima, diversos assinantes do jornal questionaram a mesma ação. Diante disso, a equipe de reportagem entrou em contato com a Assessoria de Imprensa do Sindicato Rural, para saber os motivos pelo qual a instituição não cederia o espaço. Porém, fomos informados de que “O presidente não irá se pronunciar a respeito desse assunto”.

Diante da resposta do Sindicato Rural, a equipe de reportagem entrou em contato com a prefeitura para saber se o poder público havia tentado intervir em relação ao fato e a resposta, encaminhada via Assessoria de Imprensa foi que: “A Prefeitura informa que não irá se manifestar a respeito deste assunto”.

Buscamos então informações junto aos organizadores da Expoprima 2019, e segundo o produtor Ricardo Camillo, quando as negociações para realização da festa foram realizadas, a área apresentada pela prefeitura foi a que onde será realizada a festa. “O que foi nos passado é não houve entendimento quanto a liberação do parque de exposição para a realização da festa”, ressaltou Camilo.

 

O 2º DA LEI 421/97 DIZ QUE: “Art. 1º Fica o Executivo Municipal autorizado a doar para o SINDICATO PATRONAL RURAL, inscrita no CGC nº (omitido por segurança), a área de 258.300,00m²,ou seja 25,83ha, desmembrada da Fazenda Tupã, de nossa cidade, onde encontra-se o PARQUE MUNICIPAL DE EXPOSIÇÕES “SEBASTIÃO PATRÍCIO”.

Art. 2º O imóvel, objeto da presente doação, deverá ser destinado, exclusivamente, para uso das atividades do Parque de Exposições, em caráter permanente e definitivo.

 

VOLTANDO NO PASSADO

Em 2014, ano em que a Expoprima foi realizada pela última vez na cidade, e ano em que o atual presidente José Nardes assumiu a presidência, foi realizada no mês de julho uma reunião. O objetivo era montar uma comissão que envolva o Poder Público, Sindicato Rural, Órgão de Pesquisas, entidades civis organizadas e empresas do setor Agropecuário para iniciar um trabalho de pesquisa, planejamento e ações para a realização da primeira feira de negócios do município, no caso, a Farm Show.

Segundo o presidente, os últimos resultados da Expoprima 2014 não foram satisfatórios e trouxe prejuízos. Porém, é importante lembrar, que ao deixar o cargo, Jair Guariento anunciou investimentos no parque e disse que estava deixando em caixa R$ 350 mil.

Em 2016, ainda a frente do Sindicato, o presidente José Nardes em entrevista ao jornal O Diário, ressaltou que “o Parque de Exposição Sebastião Patrício está à disposição de qualquer entidade que queira realizar outros eventos populares, tais como a Expoprima”.

 

PONTOS NEGATIVOS DA EXPOPRIMA

Realizar uma festa da proporção da Expoprima, não é tão fácil quanto parece, há muitos pontos que devem ser analisados antes de julgar a decisão do Sindicato Rural não realizar mais a festa. Entre eles estão:

a) Conseguir realizar a festa a preços populares com show nacionais.

b) Alto preço dos shows;

c) Muito “carteiraço”, ou seja, muita gente que não quer pagar entrada, nem estacionamento;

d) Exigências legais para pais comprovarem a paternidade de menores;

e) Dificuldade para controlar entrada de drogas e bebidas adulteradas.

f) Valores altos para conseguir licença junto a Polícia Militar, Corpo de Bombeiros

g) Cobrança do Ecad em relação as músicas executadas nos eventos.

h) Depois da festa a cidade fica parada por dois meses, o dinheiro some.

1 Comentário(s)
É algo contraditório,como que os nobres vereadores vai contra uma lei que eles mesmo votaram. Inacreditável
enviado por: Cícero Santos em 17/05/2019 às 08:17:52
0
 
0
responder

MAIS Primavera Do Leste

Família espera 15 horas para liberação de corpo

Apenas dois papiloscopista se revezam entre atendimentos de rotina e plantão

Prefeitura promove alienação fiduciária para moradores do Feliz Natal

Moradores devem pagar pelas casas. Serão até 180 parcelas de aproximadamente R$ 277

MAIS LIDAS NO CLIQUE F5

MAIS LIDAS MATO GROSSO


Abaixo reportagens especiais e exclusivas para os assinantes do Jornal O Diário

VANTAGEM

Conheça as vantagens oferecidas no CLUBE DO ASSINANTE DO O DIÁRIO

descontos em medicamentos, mensalidade de academias, compra de óculos, corrida de moto táxi, compra de gás de cozinha e até mesmo na conta do barzinho do final de semana. Esses são alguns dos benefícios oferecidos.

Nome ou atividade:

Bairro ou logradouro:

Produto:

Buscar em:

Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a revitalização das Avenidas de Primavera?
A favor.
Contra.
Não tenho opinião formada sobre o assunto.