ARTIGO /

Domingo, 05 de Novembro de 2017, 13h:36

A | A | A

O poder de um abraço!

"Uma terrível carência que afeta todas as classes sociais, é a carência afetiva, essa carência desestrutura qualquer pessoa, desmotivando a em todos os sentidos"


Imagem de Capa
Jean Carlos

Sabemos que vivemos em uma sociedade onde a desigualdade social impera nos quatro cantos do planeta, existem bilhões de pessoas carentes em situações de extrema miséria, infelizmente esse quadro não é algo que possa ser mudado do dia para a noite. Mas uma terrível carência que afeta todas as classes sociais, é a carência afetiva, essa carência desestrutura qualquer pessoa, desmotivando a em todos os sentidos, como é bom recebermos afeto, isso é algo imensurável, não tem preço, mas tem um valor de grande relevância, como é bom saber que não estamos sozinhos que existe alguém além de nós mesmo que se importe conosco.

E o afeto é demostrado por gestos, e um dos principais gestos de afeto a ser demostrado é o abraço, como é bom receber um abraço, ainda mais se for em um momento inesperado, porém propício. Existe um estudo realizado por um professor americano de Psicologia Sheldon Cohen que classifica os 6 fatos científicos que comprovam os benefícios de um abraço, que são: Abraços protegem contra os efeitos do estresse; diminuem os riscos de infecções; ajudam quem tem problemas para compartilhar emoções; abraço de mãe diminui a ansiedade dos filhos; reduzem a pressão arterial e aliviam a dor, nesse estudo o professor ressalta a importância dos hormônios produzidos no organismo humano estimulado pelo abraço, que consequentemente nos traz esses 6 benefícios.

Existem abraços que nos arrebata, nos rouba o tempo, nos dá no silêncio a perfeita harmonia das batidas do coração, nos traz calma, afago, aconchego e proteção, quando éramos crianças e em algum momento de apreensão e susto, não existia refúgio melhor do que o abraço da mãe ou do pai, aqueles braços se transformavam em fortalezas onde nenhum mal poderia nos atingir, então crescemos e viramos adultos, e talvez o nosso orgulho e rispidez acaba nos privando de receber e demonstrar algum gesto de afeto, mas somos seres humanos, dotados de imperfeições e carentes de afeto, desde o menor para o maior, em tamanho, idade, grau de escolaridade, classe social, existem momentos que a única coisa que precisamos é apenas um abraço, sem sons, sem falas, mas apenas um abraço.

 

Existe um poema da escritora Martha Medeiros que diz “Dentro de um abraço é sempre quente, é sempre seguro. Dentro de um abraço não se ouve o tic-tac dos relógios e, se faltar luz, tanto melhor. Tudo o que você pensa e sofre, dentro de um abraço se dissolve. ” abrace sem medo, abrace sem dó, abuse do abraço, talvez você esteja lendo esse artigo na rua, ou em algum escritório, consultório, ou até mesmo em sua casa, e se não tiver alguém conhecido perto de você agora, e você for desinibida ou desinibido o suficiente pergunte, ofereça um abraço para a pessoa ao seu lado de repente esse é o gesto que ela mais precise nesse momento, procure abraçar pelo menos 3 pessoas hoje, um abraço de no mínimo 5 segundos, em silencio, não precisa dizer nada, apenas abrace e se sentires reciprocidade, desconsidere os 5 segundos e considere por tempo indeterminado, com isso verás o poder de um abraço. 

6 Comentário(s)
Parabéns Jean linda muito bem cada vez mais admiro suas edições está merecedor de muitos Abraços .
enviado por: Olga Iolanda Lerner em 05/11/2017 às 15:00:18
1
 
0
responder
Realmente as pessoas precisam aprender a amar e a diferenciar esse amor. Primeiramente precisam ser amadas pela família. Os cônjuges precisam se amar; amar seus filhos. No amor não é somente dizer sim para tudo ou presentear, mas se obter regras e responsabilidades. As crianças precisam crescer emocionalmente preparadas para a vida. E isso se aprende no seio familiar e no contexto escolar. Ao contrário crescem indivíduos vulneráveis emocionalmente. É o q está acontecendo com essa geração e a tendência é piorar. Essa reportagem é um caso sério a se observar. Pois um ser vulnerável não está preparado para os desafios da vida cotidiana.
enviado por: Sonia Alves em 05/11/2017 às 15:35:40
1
 
0
responder
Realmente as pessoas precisam aprender a amar e a diferenciar esse amor. Primeiramente precisam ser amadas pela família. Os cônjuges precisam se amar; amar seus filhos. No amor não é somente dizer sim para tudo ou presentear, mas se obter regras e responsabilidades. As crianças precisam crescer emocionalmente preparadas para a vida. E isso se aprende no seio familiar e no contexto escolar. Ao contrário crescem indivíduos vulneráveis emocionalmente. É o q está acontecendo com essa geração e a tendência é piorar. Essa reportagem é um caso sério a se observar. Pois um ser vulnerável não está preparado para os desafios da vida cotidiana.
enviado por: Sonia Alves em 05/11/2017 às 15:36:16
1
 
0
responder
Parabéns com sempre suas edições espetaculares te admiro antes de tudo...sucessos Professor
enviado por: Olga Iolanda Lerner em 06/11/2017 às 08:45:32
1
 
0
responder
Olá Jean k linda sua edição bem k o mundo precisa disso muitos Abraços admiro seu trabalho sucessos sempre sinta.se abraçado ...abraços
enviado por: Olga Iolanda Lerner em 06/11/2017 às 08:54:14
1
 
0
responder
Parabéns Jean pelo lindo texto . Realmente a terapia do abraço é muito usada em empresas feito dinâmica, pois cada dia mais as pessoas se sentem mais carentes de afeto/carinho e atenção,e um abraço faz muita diferença, sabemos disso.Continue escrevendo coisas lindas assim e ajudando pessoas a serem mais felizes.
enviado por: mara em 07/11/2017 às 00:44:16
0
 
0
responder
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
O que você acha que deve ser feito com os carrinhos de lanche em PVA?
Devem ser retirados das avenidas!
Devem permanecer onde estão!
Devem ficar todos na Praça de Eventos!
Devem ser realocados para as praças da cidade!