ARTIGO /

Sábado, 28 de Outubro de 2017, 08h:18

A | A | A

Nunca diga nunca

Raramente paramos para pensar que em algum momento podemos mudar de opinião, e de repente realizar os mesmos atos que antes condenávamos e que por uma mudança de opinião estamos praticando as mesmas coisas.


Carregando fotos
Jean Carlos

Possivelmente em algum momento você já disse ou ouviu essa frase, pequena, mas com um grande significado, objetiva, mas ao mesmo tempo contraditório. Uma pequena frase que pode dar sentido a mudanças de comportamentos, mudanças de pensamentos e contraditório, por que a frase te obriga a fazer uma afirmação que ela mesmo incentiva a não fazer, mas que acaba sendo impossível não afirmar considerando o sentido da palavra.

 

Todos nós temos um ponto de vista individual ao sermos questionados para darmos nossa opinião sobre algo, certamente daremos a resposta segundo nosso ponto de vista daquela situação, mas, e como chegamos ao tal “ponto de vista”? A resposta para isso será baseado em nossas experiências vividas, então tudo dependerá da bagagem vivida que cada indivíduo tem para poder definir seu ponto de vista. O interessante disso tudo é que muitas vezes nos tornamos juízes por instinto, jugamos os atos, os pensamentos alheios considerando apenas o nosso ponto de vista.

 

Raramente paramos para pensar que em algum momento podemos mudar de opinião, e de repente realizar os mesmos atos que antes condenávamos e que por uma mudança de opinião estamos praticando as mesmas coisas. Por isso é importante entendermos uma regrinha fácil para uma boa convivência, “minha liberdade termina, onde começa a liberdade do meu próximo”. Cada um no seu limite da ética, e falando em ética, certa vez assistindo uma entrevista de Mario Sergio Cortella, ele foi questionado sobre o que era ética, e ele respondeu da seguinte forma: ” Ética é um conjunto de valores e princípios que você e eu usamos para decidir as 3 grandes questões da vida, que são: Quero? Devo? Posso? - Isso é ética, quais são os princípios que eu uso? Tem coisa que eu quero, mas não devo, tem coisa que eu devo, mas não posso, tem coisa que eu posso mas não quero.

 

 

Portanto temos sempre que ter a ética da boa conduta, mas somos passiveis de mudança de opinião, somos seres em evolução não tem como fugir disso, mas não significa que temos que obrigar a aceitação de ninguém, mas o dever que todos nós temos é de respeitar a opinião de cada um. Nossa conclusão hoje pode ser totalmente diferente amanhã tudo dependerá do nosso ponto de vista do atual momento, tem uma frase de Vitor Hugo que diz “Mude suas opiniões, mantenha seus princípios. Troque suas folhas, mantenha suas raízes. ” Estamos sujeitos a mudança, e isso afeta diretamente nosso ponto de vista, o que hoje achamos ser incomum, talvez amanhã acharemos comum. Então, evolua, permita-se mudar sua maneira de pensar, interaja, conheça, mas não se esqueça o princípio da ética, não julgue apenas respeite, e nunca diga nunca por que sua concepção pode mudar. 

Jean Carlos

Licenciado em Ciências da Natureza

 - Instituto Federal de Mato Grosso 

2 Comentário(s)
Muito bom mesmo o artigo ,pois nos leva a uma reflexão importante, em que ainda bem que as "coisas mudam e que também temos essa chance /mas o importante na mudança do ser humano ,é nunca perder sua "essencia".
enviado por: mara em 28/10/2017 às 08:44:03
1
 
0
responder
Simplesmente verdadeiro. Parabéns
enviado por: Olga Iolanda Lerner em 28/10/2017 às 08:50:55
1
 
0
responder
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
O que você acha que deve ser feito com os carrinhos de lanche em PVA?
Devem ser retirados das avenidas!
Devem permanecer onde estão!
Devem ficar todos na Praça de Eventos!
Devem ser realocados para as praças da cidade!