SAÚDE MENTAL /

Quarta-feira, 01 de Maio de 2019, 07h:00

A | A | A

Assuma o controle

Refletimos o que somos e recebemos a confirmação de nossas crenças


Imagem de Capa
Beatriz G. Rufato

Quando estamos presos em nossas crenças e expectativas, não conseguimos ver o mundo como ele é. Atuamos em nosso meio, de acordo com o estado mental, infantil ou adulto. Sob nossa perspectiva de ver o mundo, reagimos com comportamentos automáticos, que refletem a condição do estado emocional limitado de responder, de forma infantil, às diversas situações da vida. Essa forma de atuação, no estado mental infantil, pode trazer situações muito difíceis e dolorosas.

Uma pessoa que se sente impotente e desrespeitada, através de uma análise cuidadosa, pode descobrir que sempre minimizou as próprias necessidades e permitiu que os outros ultrapassassem os limites. Nesse estado mental infantil, não tem força nem condições para impor suas necessidades e limites e, assim, acredita que os outros são fortes e mais importantes do que ela. Quando se impõe, sente-se culpada e provoca nos outros a reação de desrespeito.

Todos têm seus próprios limites, com um conjunto de crenças, expectativas e reações, que refletem a condição mental da criança emocional. Se a pessoa sente auto piedade e insegurança, ou desconfiança e solidão vão reagir de acordo com essas limitações emocionais, tendo comportamentos automáticos de agitação e desconfiança. Vai ver e sentir o mundo externo como agressivo e ameaçador.  Assim, vai estar em constante alerta, reagindo agressivamente, sentindo medo e se defendendo frequentemente.

Somos quem pensamos se acreditarmos estar errados, que ninguém gosta de nós, que somos fracassados e merecemos ser castigados é exatamente dessa forma que o mundo vai nos tratar. Refletimos o que somos e recebemos a confirmação de nossas crenças, o reforço daquilo que acreditamos. É o estado mental infantil que nos prende às limitações.

Como se libertar dessas crenças e limitações emocionais?

– Tenha consciência e enfrente as consequências para a devida correção; saiba que você não é seus pensamentos, crenças, emoções e comportamentos automáticos; identifique as situações que o levam a reações automáticas e pratique a autopercepção; não reaja de forma tão impulsiva, com tanta intensidade; amplie a compreensão e compaixão pelos motivos da criança emocional; explore e expresse seus talentos, sua criatividade, para perceber suas forças internas.

Quando um gatilho dispara, entramos em transe e aí não conseguimos ver, ouvir e sentir a realidade a nossa volta. O transe significa que não estamos conectados com a realidade, ou seja, não estamos presentes e somos influenciados pelas lembranças de outras épocas. Essas lembranças são conteúdos inconscientes de experiências, já vividas, e encontram-se impressas em nosso sistema nervoso.

Ao disparar o gatilho, acreditamos que tudo o que sentimos e pensamos é verdadeiro.

Os transes ou nossas limitações vêm de feridas emocionais. Podemos nos auto perceber e nos libertar de reações automáticas, simplesmente tendo consciência delas.

 

Beatriz G. Rufato

Psicóloga

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

MAIS Primavera Do Leste

Transtorno de acumulação compulsiva!

Acredita-se que cerca de 2 a 6% das pessoas apresentem esse transtorno.

Nunca desista de seus sonhos

Os sonhos fazem parte da vida do homem, uma vez que neles se buscam as realizações dos desejos mais ocultos e das ambições mais extravagantes

MAIS LIDAS NO CLIQUE F5

MAIS LIDAS MATO GROSSO


Abaixo reportagens especiais e exclusivas para os assinantes do Jornal O Diário

VANTAGEM

Conheça as vantagens oferecidas no CLUBE DO ASSINANTE DO O DIÁRIO

descontos em medicamentos, mensalidade de academias, compra de óculos, corrida de moto táxi, compra de gás de cozinha e até mesmo na conta do barzinho do final de semana. Esses são alguns dos benefícios oferecidos.

Nome ou atividade:

Bairro ou logradouro:

Produto:

Buscar em:

Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a revitalização das Avenidas de Primavera?
A favor.
Contra.
Não tenho opinião formada sobre o assunto.