Quinta-feira, 28 de Abril de 2016, 11h00
BLOG LADO ARQ
Cidade, Espaço Público e Pessoas
Um local que sempre aceita ser seu.

Maria Lívia Resende Souza

O espaço público se caracteriza por ser o local mais democrático da cidade. Praças, ruas, parques, pistas de caminhada, feirinhas. Espaços que promovem a interação social entre os cidadãos, localidades que se permitem – e são planejadas para - serem apropriadas por todo tipo de pessoa, sem distinção, não há preferência. Seu foco é o convívio, a conversa, o estímulo do bate-papo informal, a vivência e experimentação entre você e sua cidade.Porque ela é sua também, amigo!

 

Esse tipo de espaço na configuração urbana é de extrema importância porque vai muito além do lazer e da diversão. Uma vez que ele proporciona vivências, está aberto para todo tipo de manifestação, principalmente cultural. Dança, música, apresentações e aulas ao ar livre, prática de esportes, debates, protestos, etc. Por precisar atender a todos, sua configuração é complexa. Todos precisam chegar até ele com facilidade: a pé, de bicicleta, carro, moto, transporte público... e sentirem-se seguros ao fazê-lo. Nesse sentido, a preocupação em disponibilizar espaços para os pedestres é fundamental para um espaço mais seguro. Um local onde tem-se várias pessoas circulando simplesmente por quererem estar ali, transmite muito mais segurança e, consequentemente, mais pessoas.

 

O espaço público urbano pode ter tanta força, que é capaz de transformar uma cidade todinha. Duvida? Em Medellín, na Colômbia, houve uma extraordinária transformação cultural, urbanística e social [...] é internacionalmente reconhecida como ‘uma cidade que deixou de ser notoriamente violenta, para se tornar um modelo para a inovação urbana em um intervalo de apenas duas décadas’”. E tudo isso a partir da transformação do espaço urbano, investindo em espaços públicos de qualidade para a cidade, abusando do seu potencial de interligação entre as áreas desconectadas na malha urbana. 

E esse é um único exemplo. É claro que tudo depende da cidade e das problemáticas.

 

O que é bacana é que o espaço público não precisa ser necessariamente criado, demandando gastos milionários, obras monumentais: ele precisa, antes de tudo, ser livre. Livre para que seja ocupado e apropriado por você, sua família, seus amigos; para que seus filhos possam correr atrás dos cachorros à vontade, ou para que seu irmão se rale todo andando de skate. Mas é um espaço que sobrevive de pessoas, de convivência, risadas, essencialmente, de vida.

Mais áreas verdes, mais ar puro, árvores, então, podem fazer verdadeiros milagres! Mais espaços de lazer, mais sombra e água fresca. Quem pode não querer, e por que ainda temos tão poucos?

 

“As pessoas são a matéria prima do espaço público. São elas que o tornam infinito.” (Felipe Uribe)


Fonte: Clique F5
Visite o website: http://jornalodiario.com.br