Terça-feira, 10 de Maio de 2016, 08h26
QUALIDADE DE VIDA
Cardíacos podem praticar atividade física, porém com algumas restrições
Pode frequentar uma academia e praticar atividade física, porém, há prescrição do exercício individualizada

Elaine Sampaio

Sabe-se que toda atividade física possibilita qualidade de vida independentemente da idade. Todos nós desejamos ter uma vida longa e saudável.  É recomendado pelo menos 30 minutos de exercício físico moderado todos os dias. 

 

Porém, aqueles que sofrem de cardiomiopatia (cardíaco), devem tomar muito cuidado com o tipo de exercício físico que irá praticar.

 

Elaine Sampaio/Cliquef5

Maycon

 

 

Para Maycon Leandro Moesch, bacharel em educação física há oito anos, proprietário da Academia Boston Fitnes, “o cardíaco pode frequentar uma academia e praticar atividade física, porém, a prescrição do exercício para este grupo deve ser individualizada, já que algumas atividades podem fazer mais mal do que o bem para o coração”.

Com relação ao tipo de exercícios o professor alerta que “as atividades prescritasão depender do tipo de arritmia. Em alguns casos serão de baixa intensidade feita com moderação e responsabilidade respeitando sempre as limitações individuais. Por isso, é importantíssimo procurar os profissionais dessa área para prescrever as atividades”, disse Moesch.

O instrutor de musculação Brener Luiz Felipe, também dá uma dica muito importante as pessoas cardíacas que não gostam de frequentar as academias de ginástica.“Existem atividades que chamamos de atividades normais no dia a dia que é varrer a casa, passar pano e caminhar. Algumas pessoas ficam sedentárias devido a tecnologia, um exemplo é um portão eletrônico que já tira uma atividade normal que é de sair do carro e para abrir e fechar. Às vezes, você poderia levantar e mudar o canal da televisão, mas o controle faz com que você não saia do sofá”.   

Segundo Moerch, “após diagnósticos, e com o resultado dos testes ergométricos para ver o nível do condicionamento físico, e o funcionamento do coração, deve procurar um educador físico com as recomendações médicas (lembrando que cada caso tem suas individualidades), para que então este possa montar um cronograma de treinamento dentro das particularidades do aluno, sempre monitorando a pressão arterial e a frequência cardíaca durante as atividades”, explica.       

 

EXERCÍCIOS PÓS-INFARTO  

 

De acordo com o site coração alerta, as pessoas que já enfartaram podem sim fazer atividades físicas, mas em geral 60 dias após a alta hospitalar, no entanto, é imprescindível o acompanhamento médico. A recomendação é fazer um teste ergométrico e um ecocardiograma antes de iniciar qualquer atividade, com o intuito de ver o nível de condicionamento físico do paciente e também analisar de perto o funcionamento do coração.

De acordo com o médico Jomar Souza, presidente da SBMEE (Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte), pessoas com cardiomiopatia hipertrófica (CMH) têm forte restrição em relação à prática de atividades esportivas. 

Os exercícios ideais são os aeróbicos, como caminhar ou andar de bicicleta. A grande vantagem é que tais atividades aumentam a capacidade cardiorrespiratória, ao mesmo tempo elevando a oferta de oxigênio e diminuindo o consumo do gás pelo coração. 

Informações do site Albert Einstein, é fundamental associar a atividade física a uma dieta balanceada para controle do peso, já que essa condição aumenta o esforço cardíaco.  Estas atitudes terão um impacto bastante positivo na promoção de saúde.   (Coração Alerta) 

 

BENEFÍCIOS PARA PORTADORES DE MARCAPASSO  

 

A prática de exercício físico é essencial para a saúde das pessoas, inclusive para aquelas que possuem algumas limitações. O aumento da autoestima, o alívio da pressão e o equilíbrio do corpo são alguns dos benefícios que a atividade física proporciona para o tratamento e a prevenção de doenças.  Porém, a falta de informação faz com que os portadores de marcapasso, por exemplo, não levem uma vida normal e considerem que não podem praticar alguma atividade física. No entanto, especialistas recomendam que os pacientes busquem acompanhamento para avaliar a intensidade dos exercícios que podem praticar.

Após a implantação do marcapasso, muitos pacientes ficam com receio de realizar atividade física, por achar que pode interferir no funcionamento eletrônico do aparelho. Segundo o cardiologista Júlio Ayres, os pacientes portadores de marcapasso devem procurar fazer exercícios que não tenham impacto com a região do peito, como caminhada, corridas, hidroginástica para que não ocorra um trauma no local do implante.

De acordo com o cardiologista, a implantação do marcapasso Cardíaco Artificial é recomendada às pessoas que sofrem com insuficiência cardíaca. Com o marcapasso, o coração volta a bombear o sangue, permitindo um melhor funcionamento dos batimentos cardíacos lentos. O aparelho é um dispositivo eletrônico composto de uma bateria de lítico, um gerador de impulsos e eletrodos que se comunicam.  (Blog Pacemakerusers)

 

 

 


Fonte: Clique F5
Visite o website: http://jornalodiario.com.br