Domingo, 02 de Agosto de 2015, 11h33
GESTAÇÃO
Entre o parto normal ou cesariana, o melhor é o normal
O parto normal tem recuperação rápida, é uma vantagem muito grande em relação ao parto cesariana.

Elaine Sampaio

O parto normal tem recuperação rápida, é uma vantagem muito grande em relação ao parto cesariana.

Oferece menos risco de infecção para a gestante e o bebê, segundo informações da ginecologista e obstetra, Bianca Muradas Couto.

De acordo com a médica, o parto normal é de extrema importância para a mãe e o bebê, pois é um processo natural onde ambos são preparados até o dia do parto.     

No Brasil, 43% dos partos são cesarianas, desse percentual 80% são feito por mulheres de classe média e que têm plano de saúde. Segundo a Organização Mundial da Saúde a recomendação é que as cesarianas correspondam apenas a 15%, mas na rede privada o percentual chega a 84,5%.

No ano passado, foi lançado pelo Ministério da Saúde, uma campanha pelo parto normal, que é considerado o mais seguro tanto para mãe quanto para o bebê. 

De acordo com Bianca, durante o processo da gravidez, a prática do exercício físico é fundamental. Segundo ela, Yôga, hidroginástica e pilates são exercícios recomendados para facilitar o parto.

A gestante precisa saber também, que às vezes mesmo que ela tenha feito a escolha pelo parto normal, as circunstâncias na hora do nascimento podem fazer com que o médico mude a decisão e faça uma cesariana, protegendo a saúde tanto da mãe quanto do bebê. Mas faça somente se houver necessidade.

No parto normal a dor acontece durante todo o trabalho de parto por conta das contrações e da força que a mãe precisa fazer para que o bebê nasça. "No entanto, sempre há a possibilidade de a gestante tomar uma anestesia para amenizar a dor e o pós-parto é bem mais tranquilo", afirma a ginecologista e obstetra Luciana Taliberti, do Hospital São Luiz em São Paulo.

Já o parto cesárea, a grávida não sente qualquer tipo de dor durante o parto por causa da anestesia, mas pode sofrer mais no pós-operatório com as dores da cicatriz. "Caso ela sinta muita dor, o obstetra responsável pode prescrever uma medicação que atenue essa sensação", diz Luciana. 

Eu mesma fui obrigada a fazer dois partos cesarianas devido às circunstâncias da minha gestação, porém, se eu pudesse escolher, faria os dois partos normais. Confesso que não foi nada agradável a recuperação.

Fica aí a minha dica às mamães, e tenham um ótimo parto quando chegar a sua hora!

 

 

 


Fonte: Clique F5
Visite o website: http://jornalodiario.com.br