Polícia Federal /

Quarta-feira, 11 de Abril de 2018, 09h:06

A | A | A

PF investiga grupo que atuava irregularmente no mercado financeiro

Belém/PA – A Polícia Federal deflagrou nesta manhã (11/4) a operação Colinas de Rocha, que tem por objetivo finalizar investigação envolvendo...


Imagem de Capa

Belém/PA – A Polícia Federal deflagrou nesta manhã (11/4) a operação Colinas de Rocha, que tem por objetivo finalizar investigação envolvendo grupo empresarial criminoso presente nos Estados do Pará, Amapá, Tocantins e Santa Catarina.

Ele atuava irregularmente no mercado financeiro, captando recursos de Institutos de Previdência de servidores municipais para aplicação no Sistema Financeiro Nacional. Esta é a 2º fase da Operação Olho de Tandera, deflagrada em setembro de 2017.

Policiais federais dão cumprimento a 10 mandados de prisão preventiva e 17 mandados de busca e apreensão, nos Estados do Pará, Amapá, Tocantins e Santa Catarina.

Esta fase tem o intuito de encerrar as investigações sobre a gestão fraudulenta do Fundo de Previdência de Oeiras do Pará, onde se descobriu a má administração de mais de R$ 14 milhões, quantia equivalente a mais da metade dos recursos do instituto de previdência do município, com o indiciamento do ex-gestor do Fundo e do ex-prefeito municipal.

No decorrer da investigação identificou-se a existência de indícios de corrupção passiva e lavagem de dinheiro praticado pelos investigados.

Comunicação Social da Polícia Federal no Pará

Contato: (91) 3214 8029/992809372

cs.srpa@dpf.gov.br

*A operação foi batizada com o nome do quarto ciclo do Inferno de Dante, que corresponde ao local onde se encontram os gananciosos, pródigos e avarentos.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a revitalização das Avenidas de Primavera?
A favor.
Contra.
Não tenho opinião formada sobre o assunto.