Esportes /

Segunda-feira, 04 de Junho de 2018, 23h:45

A | A | A

Luciano Cabral, ex-Atlético-PR, é condenado por homicídio na Argentina

O meia Luciano Cabral, ex-jogador do Atlético-PR , foi condenado, nesta segunda-feira (4), por homicídio qualificado na Argentina. O jogador pegou...


Imagem de Capa

O meia Luciano Cabral, ex-jogador do Atlético-PR , foi condenado, nesta segunda-feira (4), por homicídio qualificado na Argentina. O jogador pegou nove anos e seis meses de prisão pela morte de Juan Villegas, um membro de gangue de General Avear, cidade na região de Mendoza.

Luciano Cabral vestiu a camisa do Atlético-PR na temporada de 2016
Divulgação
Luciano Cabral vestiu a camisa do Atlético-PR na temporada de 2016

O pai do atleta, Jose Mono Cabral,  que se declarou culpado do crime, ocorrido em janeiro de 2017, também foi condenado. A pena dele é de 16 anos de detenção. Axel Olguin, que também teria participado do crime, pegou pena oito anos. Um quarto homem, Brian Santana, foi absolvido.

Leia também: Veja quem são os 23 convocados de todas as seleções da Copa

A decisão de condenar o jogador e os comparsas foi da Primeira Câmara de Crime de San Rafael. A defesa do meia já afirmou que entrará com recurso contra a condenação. A família da vítima, que considerou as penas muito brandas, também vai apelar.

O crime

O corpo de Juan Villegas, de 27 anos, foi encontrado pela polícia nas ruas de General Avear na noite de 1º de janeiro de 2017. O homem morreu em por conta de um traumatismo craniano causado por pedradas. De acordo com testemunhas, Villegas caminhava pela rua quando foi atacado de surpresa por cinco homens.

A investigação chegou rapidamente ao nome Jose Mono Cabral, criminoso conhecido como "El Mono" na região de Mendoza. De acordo com a polícia, "El Mono" queria começar a vender drogas na região, que era controlada pelo gangue da qual Villegas fazia parte. Segundo a família da vítima, Villegas teria sido ameaçado pelo rival dias antes do crime.

Ao ser capturado, Jose Mono Cabral adimitiu a autoria do crime, mas a investigação conseguiu identificar os outros suspeitos, entre eles, o jogador Luciano Cabral, através dos depoimentos das testemunhas. 

Leia também: Yaya Touré revela tratamento racista e xenofóbico de Guardiola

O atleta foi preso ainda nos primeiros dias de 2017, quando passava férias na Argentina. Na época, ainda era jogador do Atlético-PR, mas teve seu vínculo por empréstimo com o clube brasileiro terminado e não voltou à Curitiba. Cabral permaneceu detido até o julgamento.

Carreira e passagem pelo Furacão

Nascido na Argentina, Luciano Cabral iniciou a carreira nas categorias de base do Argentinos Juniors. Meia de velocidade, o atleta era um dos destaques do clube e se naturalizou chileno quando tinha 18 anos. Suas atuações pelo clube argentino chamaram atenção e ele foi convocado pelo comissão técnica do Chile para disputar o Sul-Americano sub-20 em 2015. 

Na metade da temporada de 2016, o jogador despertou o interesse do Atlético-PR, na época comandado pelo treinador Paulo Autuori e foi contratado pelo Furacão por empréstimo. Sua passagem pela Arena da Baixada, no entanto, durou pouco. Relacionado para 11 jogos do Brasileirão entre julho e novembro, o atleta entrou em campo em apenas seis oportunides, duas delas como titular. Nos seis jogos em que vestiu a camisa do Atlético-PR, Cabral perdeu cinco e venceu apenas um. O jogador não marcou nenhum gol pelo Furacão.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a revitalização das Avenidas de Primavera?
A favor.
Contra.
Não tenho opinião formada sobre o assunto.