Economia /

Sexta-feira, 07 de Junho de 2019, 21h:03

A | A | A

"Privatização dos Correios ganha força em nosso governo", anuncia Bolsonaro

Marcos Corrêa/PR "Serviços melhores e mais baratos só podem existir com menos Estado e mais concorrência", escreveu Bolsonaro no Twitter O presidente...


Imagem de Capa
jair bolsonaro
Marcos Corrêa/PR
"Serviços melhores e mais baratos só podem existir com menos Estado e mais concorrência", escreveu Bolsonaro no Twitter

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) sinalizou nesta sexta-feira (7) que a privatização dos Correios, prometida ainda durante as eleições, tem ganhado força em seu governo. Em mensagem publicada no Twitter, o presidente defendeu que a oferta de serviços melhores só é possível com menor intervenção do Estado e mais concorrência.

Leia também: Na mira do governo, privatização dos Correios não garante fim da corrupção

"Serviços melhores e mais baratos só podem existir com menos Estado e mais concorrência, via iniciativa privada. Entre as estatais, a privatização dos Correios ganha força em nosso governo", escreveu Bolsonaro.

Até então, a ideia se mostrava controversa. No início do ano, o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) disse não ser favorável à venda da estatal "por enquanto". Mais recentemente, o próprio presidente dos Correios, Juarez Cunha, reforçou sua posição contrária à privatização , argumentando que a estatal não depende integralmente de recursos da União.

Até o ministro da Ciência e Tecnologia, pasta à que os Correios estão subordinados, resiste à iniciativa. No fim de abril, em entrevista ao jornal  O Estado de S. Paulo , Marcos Pontes disse estar alinhado às diretrizes de Paulo Guedes, mas defendeu que a privatização deve ser baseada em números e levar em conta as necessidades estratégicas do País.

Últimos números

Depois de quatro anos seguidos de prejuízos, os Correios voltaram a registrar resultados positivos em 2017 e 2018, quando o lucro líquido da estatal chegou a R$ 667 milhões e R$ 161 milhões, respectivamente. A recuperação é fruto de medidas como o  programa de demissões incentivadas adotado em 2017 e mudanças nas regras de financiamento do plano de saúde de seus funcionários.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a revitalização das Avenidas de Primavera?
A favor.
Contra.
Não tenho opinião formada sobre o assunto.