Economia /

Quarta-feira, 05 de Dezembro de 2018, 17h:21

A | A | A

Ministério Público vai investigar morte de cachorro em Carrefour de Osasco

Reprodução/Twitter No último dia 28 de novembro, um texto publicado no Facebook relatou que um funcionário de uma unidade da rede Carrefour teria...


Imagem de Capa
No último dia 28 de novembro, um texto publicado no Facebook relatou que um funcionário de uma unidade da rede Carrefour teria envenenado e espancado um cachorro
Reprodução/Twitter
No último dia 28 de novembro, um texto publicado no Facebook relatou que um funcionário de uma unidade da rede Carrefour teria envenenado e espancado um cachorro

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) instaurou, nesta quarta-feira (5), um inquérito civil para investigar a ocorrência e os responáveis pelos maus tratos que levaram à morte de um cachorro numa loja da rede Carrefour em Osasco (SP). A iniciativa, segundo o MP, foi motivada pela ampla divulgação do caso, tanto pelos veículos de comunicação quanto por usuários nas redes sociais.

Leia também: Imagens flagram momento em que segurança do Carrefour agride cachorro

O promotor Marco Antônio de Souza, responsável pelo inquérito contra o Carrefour , disse ter levado em conta que, de acordo com a Constituição, é dever do Estado proteger todos os animais. Além disso, Souza destacou que pessoas físicas ou jurídicas que adotam condutas nocivas ao meio ambiente devem sofrer sanções penais e/ou administrativas, independentemente da obrigação de reparar os danos causados.

Relembre o caso

Reprodução/Facebook
"O cachorro foi morto a pauladas só porque pessoas importantes do Carrefour visitariam a loja. Não queriam o cachorro abandonado rodando por lá", denunciou Isabela Marcelino no Facebook

No último dia 28 de novembro, um texto publicado no Facebook relatou que um funcionário da rede de hipermercados teria envenenado e espancado um cachorro. Segundo Isabela Marcelino, autora da postagem, o animal estava pelos arredores da loja há cerca de uma semana, e foi espancado por um dos seguranças do local a pedido de um superior. O vira-lata chegou a ser socorrido pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), mas não resistiu. 

"O cachorro foi quase morto a pauladas [...] só porque pessoas importantes e diretores da matriz da empresa visitariam a loja. Para fazer 'bonito', não queriam o cachorro abandonado rodando por lá. Mandaram eliminar o animal como se não fosse nada e da pior forma possível!", escreveu Isabela. O texto, até o momento da publicação desta matéria, já reunia mais de 26 mil compartilhamentos.

Leia também: Morte de cachorro em unidade do Carrefour gera onda de protestos

Ainda no dia 28, segundo a prefeitura de Osasco, o Departamento de Fauna e Bem-Estar Animal foi acionado para prestar socorro a um cachorro "ferido e sangrando", possível vítima de atropelamento. Somente no sábado (1) o departamento recebeu a denúncia de que se tratava de um caso de maus tratos. 

Posicionamento do Carrefour





Leia também: Carrefour onde cão foi morto já teve suspeita de espancamento e racismo

Em nota oficial compartilhada em suas redes sociais, o Carrefour  afirmou que "reconhece que um grave problema ocorreu" na loja de Osasco e que "não vai se eximir de sua responsabilidade". A rede de hipermercados também se disse triste com o ocorrido e que o funcionário foi afastado desde o início das investigações.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a revitalização das Avenidas de Primavera?
A favor.
Contra.
Não tenho opinião formada sobre o assunto.