IRENE DECORAÇÕES /

Sexta-feira, 04 de Março de 2016, 19h:16

A | A | A

Iracema e Nabor Romancini, moradores de Primavera há 31 anos

“Fomos otimistas e crescemos junto com a cidade”


Imagem de Capa
Stephanie Freitas

Os empresários Nabor Romancini e Iracema Pinzon Romancini mudaram-se para Primavera do Leste em setembro de 1984, época em que o pequeno povoado ainda era distrito de Poxoréu. O casal que veio da cidade de Dois Vizinhos, sudoeste do Paraná, onde trabalhavam no ramo de confecções, especializada em lãs, linhas e artigos infantis, decidiu desbravar o cerrado mato-grossense, abrindo a Irene Confecções, uma das empresas pioneiras do segmento em Primavera. Após especializar-se, a loja passou a ser Irene Decorações.

No ano anterior da mudança, Nabor veio conhecer a região acompanhado de três irmãos de Iracema, Darci, Euclides e Moacir Pinzon. “Lá no Paraná, já havíamos ouvido muito sobre Mato Grosso, então durante um encontro na casa do meu pai em Toledo/PR, eles resolveram vir conhecer. Mas eu tive medo, porque nossa imagem era de que aqui estaria cheio de onça e outros bichos”, contou Iracema.

Nabor lembra que durante a viagem, passaram por outras cidades da região, como Rondonópolis, Paranatinga e Tangará da Serra, mas foi por Primavera que se encantaram. “Nós gostamos daqui logo de cara. Eu percebi que apesar de pequena, já havia planejamento na cidade, e por isso acreditei que ela iria se desenvolver”, destacou. Na ocasião, os primeiros terrenos já foram adquiridos. Sobre os obstáculos enfrentados nessa primeira jornada, o empresário conta que a maior parte das estradas era ainda de chão. “Chegando aqui, o motor do carro acabou fundindo e passamos quase um mês até conseguir arrumar”.

Em janeiro de 1984, após ouvir os relatos entusiasmados do marido, Iracema veio conhecer Primavera. Ela conta que antes da chegada estava desanimada, após ter passado por Poxoréu e outros locais sem estrutura, mas ao subir a serra na MT-130, já próximo a Primavera, viu a planície e também se encantou. “Fiquei hospedada no Hotel Castelli, e me lembro que haviam pouquíssimas casas espalhadas pelo cerrado. Mesmo tendo gostado do lugar, pensei: mas pra quem que nós vamos vender aqui?”, disse Iracema rindo da lembrança.

Nabor e Iracema destacam a receptividade dos moradores. “Realmente foi um povo muito acolhedor, tanto é que no dia que chegamos com a mudança estava chovendo e o caminhão acabou atolando. Em pouco tempo várias pessoas vieram ajudar e já fizemos muitas amizades”, relembrou Iracema. Na época, a filha mais nova do casal, Francieli, de 9 anos, veio com eles. Miriam de 19, e Joubert (em memória), de 16, ficaram para estudar, mudando-se para Primavera 1985.

A primeira casa da família foi construída na rua Paranatinga, esquina com a Avenida Campo Grande. “Algumas noites chegávamos a acordar com o barulho de gados em volta da casa. Depois de servir de pasto, essa área próxima de nossa residência foi usada para plantação de soja e atualmente é o Jardim Riva”, contou Iracema.

As primeiras instalações da Irene Confecções foram na rua Piracicaba, ao lado do antigo Supermercado Parati. “No início, abrimos uma loja magazine, que vendia confecções em geral, de infantil ao adulto, e cama, mesa e banho. Nos surpreendemos com o movimento das vendas, desde o início foram muito boas. Eu ia uma vez por mês para São Paulo/SP, e muitas vezes o estoque acabava antes da data”, destacou Iracema. Há aproximadamente 15 anos, decidiram especializar-se em decorações de casa, como tecidos, persianas, cortinas e tapetes, quando a empresa passou a ser Irene Decorações e foi transferida para a rua Paranatinga, no centro de Primavera, onde continua funcionando atualmente.

O casal lembra que sempre esteve ligado a associações da cidade, como a Associação Comercial e Empresarial de Primavera (Aciple) e Rotary, além do constante envolvimento com ações da Igreja Católica. Atualmente Nabor, 75, e Iracema, 70, continuam trabalhando na administração da empresa, junto com a filha Miriam. “O casamento da Miriam e do César foi um dos primeiros celebrados na Igreja São Cristóvão, e a primeira festa realizada na Sociedade Aquática”, contou Iracema.

Para Nabor, o progresso da cidade ocorreu pelo espírito de coragem. “O povo acreditou e realmente decidiu desbravar a cidade”, enfatizou. Iracema complementou: “Além disso, sempre tivemos bons administradores que se empenharam para o crescimento de Primavera do Leste”.

 

 

 

 

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!