AUTOMEDICAÇÃO /

Terça-feira, 28 de Julho de 2015, 13h:29

A | A | A

Os riscos causados pelo uso abusivo do omeprazol

A cada 100 pessoas 40 fazem uso do omeprazol sem orientação


Imagem de Capa
Elaine Sampaio

Muitas pessoas sofrem com dores no estômago. E o Omeprazol é um dos medicamentos utilizados no tratamento de inúmeros males que atingem esse órgão.

Segundo o médico Jorge Fonseca, da Open International University for Complementary Medicine, na Índia, explica em seu blog que o uso prolongado pode provocar demência.

De acordo com a farmacêutica Jacqueline Lopes, “muitas pessoas assim que sentem dor no estômago, correm pra farmácia e já chegam pedindo omeprazol”, diz ela.

Por ser da classe dos inibidores da bomba de prótons, ele é indicado para pessoas que sofrem de má digestão, refluxo, azia, úlceras pépticas benignas, tanto gástricas domo duodenal. O omeprazol é o segundo remédio mais vendido no mundo.

Por não ser um remédio que necessita de prescrição médica, as pessoas tem acesso fácil em qualquer farmácia. “É necessário ter a orientação de um profissional para tomar esse tipo de remédio, pois a automedicação pode matar”, alerta Jacqueline.

A automedicação, muitas vezes é vista como uma solução para o alívio imediato de alguns sintomas, mas pode trazer consequências mais graves do que se imagina.                                                                                                            

“Os diabéticos ao fazer uso do remédio devem ter muita cautela, pois o omeprazol contém açúcar”, alerta a farmacêutica.

Esse remédio faz parte de um grupo de medicamentos chamados antissecretores, que reduz a produção de ácido clorídrico e traz impactos para o organismo.

DOENÇAS DO CORAÇÃO: O medicamento pode aumentar as chances de a pessoa ter ataque e doenças do coração, segundo um estudo feito com tecido humano publicado em 2013 pelo Circulation, jornal da Associação Americana do Coração.

DERRAME CEREBRAL, ESPASMOS MUSCULARES E OSTEOPOROSE: O uso por mais de um ano, pode levar a queda na absorção de magnésio, elevando o risco de arritmias, derrames cerebrais, convulsões, enfraquecimento dos ossos e espasmos musculares, alerta estudo da Food and Drug Administration (FDA).

ANEMIA E DEMÊNCIA: Pesquisadores da Kaiser Permanente, líder na indústria da saúde norte-americana, demonstraram que o uso contínuo do Omeprazol leva a uma baixa absorção de vitamina B12.

Ao comparar dados de quase 26 mil pacientes diagnosticados com baixos níveis da vitamina com outros 184 mil que não tinham o problema, veio a resposta: indivíduos que tomam Omeprazol por mais de dois anos tem 65% mais chances de desenvolver deficiência de B12. A falta da vitamina pode causar demência, dano nos nervos e anemia.

“Se o médico receitou, existe um motivo, é para melhorar sua qualidade de vida”.

“Por outro lado, se o seu caso exige o uso prolongado do Omeprazol, vale a pena conversar com o seu gastro para saber se existem alternativas com menos efeitos colaterais no longo prazo”, afirma Douglas Corley, gastroenterologista da Kaiser Permanente.

 

 

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!